Palmas, Tocantins -
Educação no Trânsito

Campanhas educativas de trânsito para 2017 são publicadas no Diário Oficial da União

Cada mês a campanha educativa de trânsito terá um foco diferente; até fevereiro, as ações estarão concentradas no apoio à Operação Rodovida para evitar acidentes durante o período de férias
- Atualizada em
Campanhas iniciam com foco nas férias Foto: José Cruz

O cronograma das campanhas educativas de trânsito para 2017 foi publicado hoje no Diário Oficial da União. O tema principal das ações deste ano é “Minha escolha faz a diferença no trânsito”. As campanhas entram em vigor a partir desta quarta-feira, 11.

 

Conforme resolução aprovada pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran) ficou definido que a cada mês a campanha educativa de trânsito terá um foco diferente. Até fevereiro, as ações estarão concentradas no apoio à Operação Rodovida, coordenada pela Polícia Rodoviária Federal com o objetivo de evitar acidentes nas rodovias durante o período das férias de verão até o carnaval.

 

Em seguida, o período de volta às aulas será o destaque das campanhas. Ao longo do ano, outros temas serão priorizados, como o respeito ao pedestre e ao ciclista, conscientização sobre o uso do celular, o consumo de álcool combinada à direção.

 

A resolução estabeleceu as mensagens que devem ser veiculadas nas peças publicitárias, nos meios de comunicação, em produtos oriundos da indústria automobilística, entre outros. As frases usadas nas atividades educativas seguem o mesmo tom do tema principal, com destaque para a decisão dos condutores em preservar a segurança no trânsito: "Escolha viver. Decida pelo trânsito seguro"; "Pela família. Escolha o trânsito seguro"; e "Pela vida. Escolha o trânsito seguro".

 

Polêmica

Na semana passada, a Secretaria de Comunicação da Presidência da República (Secom) determinou a retirada de circulação dos cartazes da campanha “Gente boa também mata”, promovida pelo Ministério dos Transportes. A decisão foi tomada depois de repercussão negativa nas redes sociais, onde internautas reclamaram da associação da imagem de pessoas boas ao ato de matar. A secretaria informou que os cartazes serão substituídos por outros, sem imagens de pessoas; e que os filmes e outras peças da campanha seguem sem alterações.