Palmas, Tocantins -

Plantão de Polícia


Polícia Federal
452 visualizações

Justiça de Gurupi concede mandados para PF cumprir em MG contra crimes ambientais

Aproximadamente 20 Policiais Federais cumprem dois mandados de prisão preventiva e três de busca e apreensão nos municípios de Contagem-MG, Ribeirão das Neves-MG e João Pinheiro-MG.
- Atualizada em
Divulgação

Mais uma operação a pedido da Polícia Federal do Tocantins foi deflagrada esta semana. Desta vez, a Operação Araracanga cumpriu, na manhã de hoje, 13, mandados em municípios de Minas Gerais determinados pela Justiça de Gurupi, visando desarticular organização criminosa envolvida em caça e comércio ilegal de animais silvestres. 

 

Aproximadamente 20 policiais federais cumprem dois mandados de prisão preventiva e três de busca e apreensão, expedidos pela Justiça Federal em Gurupi, nos municípios de Contagem-MG, Ribeirão das Neves-MG e João Pinheiro-MG. 

 

Conforme a PF, a investigação teve início após uma apreensão de pássaros realizada pela Polícia Rodoviária Federal em Cariri/TO em 2018. Os indícios reunidos até aqui indicam que a organização promove reiteradamente a compra de grandes quantidades de animais silvestres nos Estados da Bahia, Tocantins e Pará, transportando-os aos grandes centros, a exemplo de Belo Horizonte/MG e São Paulo/SP, para revenda. 

 

Os investigados devem responder pelos crimes de caça ilegal, receptação e organização criminosa, cujas penas podem chegar a 16 anos de reclusão. O nome da operação faz referência ao nome de uma das espécies comercializadas pelo grupo. 

 

Outras operações esta semana

 

A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã da última terça-feira, 11, duas operações no Tocantins. A Operação Tiro no Pé II, deflagrada em Palmas, visou desarticular uma associação criminosa envolvida no uso de documentos falsos perante o Núcleo de Controle de Armas da Polícia Federal da Capital e no comércio ilegal de armas de fogo. Já a Operação Phishing, com mandados para Palmas e Porto Nacional,  buscou documentos e pessoas envolvidas em fraudes bancárias eletrônicas. Na primeira operação, aproximadamente 15 policiais federais cumpriram três mandados de busca e apreensão, expedidos pela 4ª Vara Federal de Palmas. Na outra, foram 30 policiais federais cumprindo cinco mandados de busca e apreensão na Capital e em Porto Nacional.