Palmas, Tocantins -

Cidades


Na Capital
477 visualizações

Semus detecta aceleração do contágio: alta da taxa de internação forçou restrições

Coletiva virtual para discutir sobre o decreto que suspende as atividades não essenciais e o quadro epidemiológico de Palmas, foi realizada na manhã desta quinta-feira, 04
- Atualizada em
Descrição: Prefeita de Palmas, Cinthia Ribeiro, durante coletiva de imprensa Edu Fortes

Os dados de pesquisa e de monitoramento da equipe de Saúde da cidade de Palmas, acerca da variação da taxa de contágio, com projeção para sábado, 06, de mais 2.644 casos a serem confirmados de Covid-19 na Capital, nesta semana, provocaram a tomada de decisão pelo novo decreto restritivo que entra em vigor no sábado.

 

Segundo as projeções da pasta com base em pesquisa, cada caso de Covid-19 confirmado, contaminou em média outros seis (06) assintomáticos na Capital, elevando o número de infectados para mais de 54% da população palmense.

 

Esta foi uma das informações compartilhadas pela assessora técnica da Secretaria Municipal de Saúde (Semus) Giilian Cristina Barbosa, em um relatório amplo e complexo exposto em coletiva à imprensa, concedida na manhã desta quinta-feira, 4, via Google Meet.

 

Até aqui, o Município de Palmas aplicou 111.355 testes e tem 272 óbitos confirmados, após investigados. A taxa de letalidade exibida em Palmas ainda é positiva, pois baixa, em comparação à de outras capitais. “A análise desses dados, inclusive em algumas semanas, nossa taxa de projeção de novos casos foi subestimada, somada à análise da média da taxa de ocupação hospitalar, é muito preocupante, pois supera a média de 86% de internações’, conta Giilian.

 

A taxa de internação, em especial, avaliou que Palmas tem sido referência para 25 municípios do seu entorno, o que pode impactar ainda mais a alta de casos e colapso da rede pública e privada de saúde. “Hoje são 213 pacientes internados na Capital, dos quais 149 são de Palmas e 64 de outras localidades”, informou a assessora técnica da Semus.

 

A taxa de desocupação dos leitos mostram 27 altas e quatro óbitos na semana em curso, sendo três mortes de moradores de Palmas. “A tendência de agravamento acontece em todo Estado”, avalia a Semus.

 

Segundo pesquisa desenvolvida em Pelotas e repetida em Palmas pela Fesp – Fundação Escola de Saúde de Palmas, envolvendo assintomáticos, encontrou para cada caso confirmado, seis assintomáticos o que projeta que 173.184 mil cidadãos da Capital já foram infectados, atingindo um percentual de 56,54% de contaminações. “Importante lembrar que nesta pesquisa não há dados de reinfecção, nem do que corresponde à segunda cepa do vírus”, disse a técnica.