Palmas, Tocantins -

Estado


Em Palmas
496 visualizações

Manifestação em frente à Seduc cobra Estado sobre concurso para a Educação

Protesto, organizado pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação no Estado do Tocantins (Sintet), foi realizado nesta segunda-feira, 23. Último concurso foi realizado há mais de dez anos.
- Atualizada em
Divulgação/Sintet

Trabalhadores da Educação realizaram nesta segunda-feira, 23, um protesto cobrando a realização de concurso público em frente à Secretaria da Educação, Juventude e Esportes (Seduc). O ato, organizado pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação no Estado do Tocantins (Sintet), contou com caixa de som e faixas estendidas nas calçadas da secretaria. O ato foi realizado no mesmo dia em que estava marcada uma audiência entre a pasta e o Ministério Público para tratar da pauta de realização do certame.

 

Os professores e dirigentes sindicais cobram a realização urgente de concurso público, visto que o último concurso da área foi realizado há mais de dez anos. “Sem concurso público, a própria aposentadoria dos professores fica comprometida, já que os trabalhadores em regime de contrato não contribuem para o Igeprev”, disse o presidente, José Roque.

 

“Queremos a realização de concurso público para por fim a barganha de contratos no estado”, cobrou o secretário-geral, Carlos de Lima Furtado.

 

As faixas cobravam resposta da secretária de Educação, Adriana Aguiar, quanto ao número de contratos temporários existentes no Estado e a posição do governador Mauro Carlesse sobre a realização do concurso.

 

"O Sintet há anos cobra a necessidade de concurso público, mas a gestão do Governador Carlesse, assim como as gestões anteriores, não demonstra vontade de fazer, resta ao Ministério Público fazer valer a ação civil pública que cobra o concurso. A ação do MP se deu após notícia de fato comunicada pelo Sindicato denunciando a forma eleitoreira com que a Seduc tem mantido os contratos", considerou o Sindicato.

 

O Sintet também reivindicou a valorização da carreira dos profissionais da Educação, como o pagamento das datas-bases e progressões atrasadas, assim como os retroativos devidos.