Palmas, Tocantins -

Estado


Caso Vencim
3.471 visualizações

Atendendo MPE, Justiça expede mandado de prisão contra Duda Pereira em Porto Nacional

Duda Pereira, ex-presidente do Sindiposto é suspeito de envolvimento na morte do empresário Vencim Leobas e é acusado pelo MPE de tentar coagir testemunha do processo
- Atualizada em
Descrição: Duda Pereira, suspeito no caso Vecim Leobas T1 Notícias

O juiz titular da 1ª Vara Criminal de Porto Nacional, Alessandro Hofmann T. Mendes, expediu na tarde nesta segunda-feira, 10, um mandado de prisão contra o empresário Eduardo Augusto Rodrigues Pereira, o Duda, que é réu no processo que investiga a morte do também empresário no ramo de postos de combustíveis, Wenceslau Gomes Leobas, o Vencim, de 77 anos, em janeiro de 2016.

 

O pedido de prisão preventiva contra Duda Pereira partiu do Ministério Público, após denúncias de que o suspeito estaria coagindo testemunhas do caso a mudarem o depoimento em seu favor. Conforme o requerimento formulado pelo MPE, existem novas evidencias de efetivas ameaças patrocinadas pelo réu, através de seus comandados, visando alterar testemunhos.

 

Uma testemunha presencial do crime relatou que vinha sofrendo ameaças e que um mensageiro de Duda a procurou as autoridades policiais para registrar um boletim de ocorrência tendo áudios gravados dos diálogos como prova de ameaças à sua pessoa, que inclusive estariam cada vez mais constantes e perigosas.

 

“O representado vem atrapalhando e embaraçando a regular instrução criminal, não só apenas constrangendo e ameaçando a única testemunha presencial do homicídio. Este busca criar, criminosamente e com sua participação direta e efetiva, um outro mandante que não ele próprio”, ressalta o MP.

 

O Ministério Público apontou que “a prisão preventiva, fundamentada na conveniência da instrução criminal, possui como característica peculiar a sua instrumentalidade; consistente em uma forma de assegurar a eficácia da futura prolação decisória, procurando alcançar o bom andamento do processo penal”.

 

Uma equipe da Polícia Civil da 4ª Delegacia de Polícia de Porto Nacional está em diligência para cumprir o mandado. 

 

Em nota, a assessoria de comunicação da Secretaria de Segurança Pública (SSP) informou que “existe o mandado de prisão em aberto contra o mencionado empresário, contudo o mesmo ainda não foi localizado”.

 

Defesa

Em nota à imprensa, a defesa do empresário Duda Pereira disse que acabou de tomar conhecimento da determinação de prisão preventiva contra o cliente e que “desconhece a defesa, todavia, o teor da referida decisão, uma vez que não há qualquer notícia sobre ela no processo eletrônico correspondente”.

 

De acordo com a defesa, Duda Pereira não irá obstar a aplicação da lei, e cumprirá a determinação judicial; sua defesa, entretanto, pretende adotar as providências cabíveis na busca de reverter o decreto de prisão.

 

Confira nota na íntegra:

 

NOTA A IMPRENSA

 

A defesa do empresário Eduardo Pereira acaba de tomar conhecimento de que teria sido decretada a prisão preventiva do mesmo no processo a que responde na comarca de Porto Nacional. Desconhece a defesa, todavia, o teor da referida decisão, uma vez que não há qualquer notícia sobre ela no processo eletrônico correspondente.

 

Não havia medida judicial alguma que restringisse o direito de o acusado se afastar da cidade onde reside.  A defesa esclarece que Eduardo Pereira não irá obstar a aplicação da lei, e cumprirá a determinação judicial; sua defesa, entretanto, pretende adotar as providências cabíveis na busca de reverter o decreto de prisão.

 

A defesa desconhece a informação de que Eduardo Pereira tenha intimidado testemunhas ou praticado qualquer outro ato que justifique a medida extrema da prisão provisória, e sobre isso só poderá manifestar-se mais especificamente após conhecer os termos da decisão.