Palmas, Tocantins -
Caso Cmei Arco Íris
4.651 visualizações

Na tribuna, menina de 8 anos repreende Câmara de Palmas por mudar nome de Cmei

A estudante do terceiro ano do ensino fundamental, Malu Menegon, refutou o projeto de lei para alterar nome de Cmei e destacou mensagens de amor, respeito e tolerância
- Atualizada em
Malu tem 8 anos e é aluna do 3º ano do ensino fundamental Divulgação/Twitter

Nesta terça-feira, 7, uma convidada muito especial compareceu à Câmara Municipal de Palmas para debater sobre o Projeto de Lei nº 26, de 30 de abril de 2017, do vereador Filipe Martins, que alterou o nome de um Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei), com a justificativa de o nome "Cmei Arco Íris" se tratar de “apologia ao homossexualismo”. Maria Luíza Menegon (Malu), de 8 anos, acompanhada do vereador Júnior Geo, refutou o PL e falou sobre respeito e igualdade.

 

Júnior Geo contou, na sessão, que foi interpelado por Malu, que é sua vizinha, e foi questionado sobre a polêmica, viralizada nas redes sociais, gerada pela mudança do nome Cmei. De acordo com o vereador, a estudante disse que o arco-íris, para ela e as crianças, é algo puro. O parlamentar explicou que a convidou então para falar aos demais vereadores na Câmara.

 

Malu começou seu discurso contando a história do livro “Qual é a cor o amor”, no qual os bichos da floresta, após discutirem sobre qual seria a cor do sentimento, chegaram ao consenso de que “o amor é toda cor, é tudo em todo lugar. São todas as cores a nossa volta, porque nada mais importa quando você encontrou o amor”, referindo-se ao arco íris.

 

Ressaltando uma mensagem de respeito, tolerância e amor, a garotinha deixou seu recado aos parlamentares. “Senhores vereadores e vereadoras, nenhuma criança nasce preconceituosa. São os adultos que ensinam isso. O preconceito não me representa. O desrespeito não me representa. A intolerância não me representa. O ódio não me representa”, disse Malu.  

 

“Que a natureza nos ofereça quantos arco íris forem necessários para aprendermos a conviver em equilíbrio e harmonia. Que as cores continuem colorindo o céu, o mundo e a vida das pessoas!”, finalizou a menina.

 

Em resposta, o vereador, que foi duramente criticado pela população palmense e a população LGBTQI, parabenizou o discurso de Malu, mas destacou "a briga de espaços que há na sociedade". Segundo o parlamentar, “esse debate não é preconceituoso, é um debate de espaço e tentativa de não deixar que uma minoria se sobressaia à maioria”, afirmou Filipe Martins.

 

Júnior Geo elogiou e agradeceu o pronunciamento da menina. “Eu fico muito feliz, Malu, pelo seu posicionamento, pela seriedade como você levou essa situação e pelo olhar de uma criança. É exatamente essa pureza que nós temos que cultivar para que nós tenhamos uma sociedade melhor”, destacou.