Palmas, Tocantins -

Ação Parlamentar

Ver comentários
Assembleia Legislativa

Claudia defende que consumidor precisa pagar apenas o que consome na tarifa de água

A audiência, proposta pela deputada estadual Vanda Monteiro (PSL), contou com a presença dos parlamentares, presidentes de associações de moradores, PROCON, comerciantes e representantes da BRK.
- Atualizada em
Divulgação

A deputada estadual Claudia Lelis (PV) participou, na tarde desta quinta, 17, de audiência pública na Assembleia Legislativa para discutir tarifas de água praticadas pela BRK Ambiental. A audiência, proposta pela deputada estadual Vanda Monteiro (PSL) e realizada na comissão de Defesa do Consumidor, contou com a presença dos parlamentares, presidentes de associações de moradores, PROCON, comerciantes e representantes da BRK Ambiental.

 

"Essa é uma luta antiga dessa Casa de Leis, o fim das tarifas abusivas nas contas de água dos tocantinenses. O consumidor não aguenta mais essa cobrança sem limites e defendo que se pague apenas o que se gasta, sem essas taxas abusivas como a taxa minima de consumo", afirmou Lelis.

 

Claudia Lelis também questionou a qualidade do serviço prestado pela operadora de saneamento. "Sabemos que é uma concessão de 32 anos, mas isso não quer dizer que devemos aceitar tudo. A qualidade do serviço ao povo tocantinense precisa vir em primeiro lugar", defendeu a parlamentar.

 

Segundo a deputada, a BRK, objeto de contestações no PROCON e também de CPIs em câmaras municipais de diversos municípios, precisa estar atenta aos municípios os quais gerencia os serviços de saneamento.

 

“ Alem da alta taxa cobrada de água, muitos consumidores estão sem água em suas residências o que vem provocando transtornos em diversas regiões da capital”, alertou Lélis. A parlamentar pevista também reforçou sua luta para que essa tarifa abusiva seja revista. “ Como deputada vou lutar juntamente com meus colegas para que a qualidade do serviço possa melhorar tanto na capital quanto no interior", completou Lelis.

 

Na reunião também foi debatida a questão do fornecimento de água e tratamento de esgoto nos setores da capital. Atualmente, a tarifa de esgoto é de 80% com base no consumo de água o que dobra o valor da conta de água do consumidor tocantinense.