Palmas, Tocantins -

Ação Parlamentar

Ver comentários
Câmara Federal
817 visualizações

Gaguim teve parecer aprovado nesta quarta-feira, 16, no Congresso Nacional

Deputado Federal Carlos Gaguim teve seu parecer da Medida Provisória n. 709/15 aprovado, nesta quarta-feira, 16, na Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização do Congresso Nacional
- Atualizada em
Deputado Federal Carlos Henrique Gaguim Ascom

Deputado Federal, Carlos Henrique Gaguim (PTN-TO) teve seu parecer da Medida Provisória n. 709/15 aprovado, nesta quarta-feira, 16, na Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização – CMO do Congresso Nacional.

Esta MP abre crédito extraordinário em favor dos Ministérios da agricultura, da saúde, da cultura, do esporte, da defesa, da integração nacional, do turismo, da secretaria da aviação civil, da secretaria de portos e de transferências a Estados, DF e Municípios, no valor de R$ 1.318.639.330,00

Gaguim explicou: “como o crédito extraordinário é uma modalidade de crédito adicional destinado ao atendimento de despesas urgentes e imprevisíveis, fiz a relatoria priorizando recursos para a saúde e para a agricultura. Na Agricultura, porque nosso país é essencialmente agrícola e este setor vem segurando nossa economia e na Saúde porque as pessoas estão morrendo nos hospitais pela falta de atendimento.

O parecer aprovado do ex-governador, Gaguim, suprimiu dotações destinadas ao ministério do turismo e do esporte para realocar essas dotações na Saúde e na Agricultura.

“Nesse momento de crise precisamos criar alternativas para gerar empregos, renda, ou seja, desenvolver a economia do nosso país. Por isso foi muito importante a aprovação dessa minha relatoria, já que por meio dela conseguiremos recursos para o fomento agropecuário da região do MATOPIBA”. Afirmou o Líder da Bancada de Tocantins.

Por último Gaguim disse: “Já a saúde vive um momento difícil, então nada mais sensato de que colocarmos essas verbas como prioridade. Tenho certeza de que essas medidas trarão resultados para o país, beneficiando os cidadãos, que realmente utilizam o Sistema Único de Saúde - SUS.”