Palmas, Tocantins -

Ação Parlamentar

Ver comentários
Diálogos da Sustentabilidade

Paulo Mourão defende planejamento estratégico para um estado eficaz, em encontro

Durante o 5º encontro Diálogos da Sustentabilide, o deputado destacou que é necessário um planejamento estratégico definindo potencialidades de um estado eficaz
- Atualizada em
Paulo Mourão participa de debate sobre Estado Eficaz Divulgação

Diálogo com a juventude, planejamento estratégico e definição das potencialidades do Tocantins são algumas das soluções sustentáveis para a eficácia do Estado, apontadas pelo deputado estadual Paulo Mourão (PT), durante o 5º encontro Diálogos da Sustentabilidade com tema “A Busca por um Estado Eficaz”, realizado pela CBN Tocantins na noite desta quarta-feira, dia 19, no auditório do Centro Luterano de Palmas (Ceulp/Ulbra).

 

“O estado eficaz precisa ter um planejamento estratégico definindo suas potencialidades. É preciso observar a capacidade do Estado de fazer uma gestão no que tange as questões fiscais e tributárias, mas acima de tudo ser um motivador, um incentivador, um indutor do processo de desenvolvimento”, destacou Mourão ao lembrar da necessidade do setor empresarial, que é o gerador de riqueza para o País, integrar uma ação eficiente conjunta de desenvolvimento junto ao Poder Público e assim ter de fato a preocupação com a qualidade de vida das pessoas.

 

O deputado avaliou que o setor privado é hoje um grande parceiro nos recursos públicos, mas não nas soluções de desenvolvimento do Brasil. “Se nós observarmos, menos de 5% do capital investido no Brasil é de empresas privadas na área de inovação e pesquisa. Quando você traz isso para os governos estaduais, percebe-se a descontinuidade, a incompetência, a corrupção, a falta de gestão e de visão.”

 

Foi neste sentido que o diretor do Grupo Jaime Câmara Tocantins, Jean Teixeira, avaliou a oportunidade do encontro, tendo em vista a ideia de levar ao ambiente acadêmico alguns dos principais agentes sociais responsáveis que trabalham na busca naquilo que a sociedade almeja: o equilíbrio e o bem estar sustentável. “Esse quinto episódio visa trazer o enfoque de que o Estado, enquanto todos nós, seja um ente que entenda que ele faz parte do mundo em que vivemos e tem suas responsabilidades.”

 

Para Mourão é preciso “observar a capacidade do Estado de fazer uma gestão no que tange as questões fiscais e tributárias, mas acima de tudo ser um motivador, um incentivador, um indutor do processo de desenvolvimento”. Na avaliação do parlamentar somente com a aplicação de eficiência e ações eficazes é possível alcançar esse desenvolvimento, mesmo diante da atual situação vivida pelo País.

 

“Vivemos um dos momentos mais traumáticos da história do Brasil. Já ouvi em um período se dizer que a esperança venceu o medo e nós agora talvez estejamos vivendo um momento em que o medo está abraçado com a indignação e a desesperança”, disse o deputado ao destacar que os Estados brasileiros estão quebrados e o motivo é ineficiência, corrupção ou ainda as duas coisas juntas.

 

Mourão acredita que o diálogo com a sociedade pode ajudar a reverter as dificuldades. “Eu creio que o que nós estamos fazendo aqui, seja talvez, o momento de um marco novo no nosso Estado, onde nós passamos a discutir dentro das universidades o porquê do Estado do Tocantins não dar certo. E respondo que é porque não somos eficientes, não somos eficazes”, alertou.

 

Ao lembrar o déficit atuarial do Instituto de Gestão Previdenciária (Igeprev), hoje na casa dos R$ 24 bilhões, além do “sumiço” de R$ 1,1 bilhão do mesmo órgão nos dois governos anteriores, sem responsabilização, Mourão demonstrou preocupação, mas apontou a solução.  “Não há projeto estruturante de estado para corrigir os problemas estruturantes de estado, então nós temos que continuar em um debate profundo. É preciso trazer o processo do debate através da juventude para fazermos uma alternância de gestão e de gerenciamento nesse Estado, que eu creio que seja o caminho de conseguirmos a eficácia”, ponderou.

 

Além do deputado Paulo Mourão estiveram presentes no debate o prefeito de Palmas, Carlos Amastha; o desembargador do Tribunal de Justiça do Tocantins, Ronaldo Eurípedes; o secretário da Administração, Geferson Barros Filho; o reitor do Ceulp/Ulbra, Adriano Chiarani; o engenheiro agronômico e idealizador do projeto, Ramis Tetu, e o mediador do diálogo, o jornalista Sidney Neto. Cerca de 400 estudantes estiveram presentes no evento.