Palmas, Tocantins -

Ação Parlamentar


Brasília
439 visualizações

Professora Dorinha Seabra cobra qualidade na educação e valorização do professor durante discurso na Câmara dos Deputados

A deputada federal, Dorinha Seabra Rezende (DEM) falou pela primeira vez no Grande Expediente da Câmara dos Deputados nesta segunda, 11. Na pauta foi abordado os desafios do novo Plano Nacional da Educação (PNE). "Queremos construir um plano par...
- Atualizada em

Usando a tribuna pela primeira vez no Grande Expediente da Câmara dos Deputados, nesta segunda-feira, 11, a parlamentar tocantinense Professora Dorinha Seabra Rezende (DEM) falou sobre os avanços da educação tocantinense nos últimos anos e os desafios do novo Plano Nacional da Educação (PNE)

A discussão do Plano Nacional de Educação (PNE-PL 8035/10) vai permitir que o Congresso analise a melhoria do sistema educacional, avaliou a deputada Professora Dorinha Seabra Rezende (DEM-TO). “Queremos construir um plano para que, em dez anos, possamos comemorar juntos a melhoria dos resultados dos nossos alunos nas avaliações internacionais”, disse.

Para isso, a deputada cobrou o investimento em qualidade e na formação e remuneração dos professores. “Nós queremos que a melhoria da educação, a equiparação e a qualidade não sejam frutos de programas temporários, mas de uma mudança verdadeira dentro do sistema”, afirmou.

A parlamentar defendeu que os professores estudem nas universidades a melhor forma de repassar os conteúdos da sala de aula, e que o magistério seja bem remunerado para que a carreira atraia os melhores profissionais. “Reconhecemos o avanço do piso salarial nacional para os professores [confirmado pelo Supremo Tribunal Federal], mas temos a certeza de que agora, na discussão do Plano Nacional de Educação, nós conseguiremos avançar para que os melhores alunos do ensino médio não sonhem só em ser engenheiros, advogados e médicos, mas que queiram também ser professores”, argumentou.

Além disso, a deputada cobrou que o governo invista não apenas nas piores escolas, mas também naquelas que tiveram um bom rendimento. Para ela, deve-se incentivar os bons alunos, as boas escolas e os municípios “que já fizeram o seu dever de casa e cumpriram as metas”. O PNE, em sua avaliação, deve permitir escola de qualidade para todos. (Com informações da Assessoria)