Palmas, Tocantins -

Agenda Cultural

Ver comentários
Teatro
771 visualizações

Espetáculo teatral de comédia "Dias Difíceis..." inicia turnê pelo Brasil

A Cia. Cenaberta de Teatro em parceria com Diversa Produções do Tocantins inicia mais uma turnê, desta vez com o espetáculo teatral "Dias Difíceis” O texto é de Renatho Costa.
- Atualizada em
A peça teatral traz uma linguagem cinematográfica Divulgação

A Cia. Cenaberta de Teatro em parceria com Diversa Produções do Tocantins inicia mais uma turnê, desta vez com o espetáculo teatral "Dias Difíceis...” que conta com texto de Renatho Costa e direção, figurino e cenário de Ana Isabel Friedlander. No elenco, os atores: Kaká Nogueira e Bell Gama com participação do ator e cineasta, Caio Brettas. A Iluminação é assinada por Lúcio Miranda e os objetos de cena são de Marina Boaventura e Renato Moura. O espetáculo é patrocinado pelo Governo Federal, por meio do Prêmio Funarte Myriam Muniz 2012, e conta ainda com a importante parceria do SESC.

O espetáculo percorrerá durante a turnê os Estados de Goiás, Maranhão, Roraima e, é claro, o Tocantins, sendo que a cidade de Boa Vista - RR será a primeira a receber o trabalho nos dias 22 e 23 de junho de 2013, no Teatro Jaber Xaud – Sesc Macejana às 20h, também já está confirmada a participação do grupo no Festival SESC Aldeia Diabo Velho, em Goiânia – GO, com apresentação no Teatro Goiânia Ouro no dia 28 de julho de 2013 às 18h.

Em agosto o trabalho chega a Palmas, e estará nos dias 09, 10 e 11 no Teatro SESC Palmas, também às 20h. São Luís – MA receberá o espetáculo no Teatro Arthur Azevedo nos dias 29, 30 e 31 de agosto, também às 20h, encerrando a temporada.

O projeto ainda prevê a realização de duas oficinas teatrais gratuitas para jovens de Boa Vista-RR (22 de junho) e de Palmas-TO (10 de agosto).

Em Palmas também, teremos a presença confirmada do autor do texto, o paulista, Renatho Costa, que virá exclusivamente para prestigiar a temporada tocantinense.

SINÓPSE

“Dias Difíceis...” é uma comédia leve que faz um tributo à amizade. O texto, que remete o público a um ambiente de deserto, mostra um casal de bandidos e trapaceiros muito mal sucedidos, incompetentes na “profissão”. O casal entra em uma discussão sobre qual é o caminho certo, o destino daquela parceria formada, que, talvez seja a causa de suas inúmeras tentativas desastrosas de se obter renda e aventura. A amizade é vista como um obstáculo, mas ao mesmo tempo a única coisa valiosa que ambos adquiriram ao longo da vida.

BREVE DESCRIÇÃO CÊNICA

O espetáculo traz elementos oriundos da linguagem cinematográfica para o teatro, por meio de um trabalho contemporâneo, onde o palco é recoberto por areia e uma projeção de vídeo pontua, com muita beleza, a passagem de tempo, remetendo o espectador a esse ambiente seco de deserto, de um lugar e de um tempo que pode ser qualquer.

Os objetos de cena foram confeccionados pelos artistas plásticos Mariana Boaventura, que circula como exposição intitulada "Malas e Mistérios", e Renato Moura, também artesão, responsável pela criação da cruz de madeira envelhecida e a arma do século XVII. A iluminação acompanha esse jogo cênico no deserto, de passagem de tempo, de se estar em um lugar qualquer em um tempo qualquer, e foi desenhada pelos iluminados Lúcio de Miranda e o resultado é a transição do dia e noite quase que imperceptível.