Palmas, Tocantins -

Agronegócio

Ver comentários
Agronegócio Competitivo

Faet/Senar tem apoio da CNA e do BID para fortalecimento do setor agroexportador

No Tocantins o projeto é coordenado pela Federação da Agricultura e Pecuária do Estado, presidida por Paulo Carneiro.
- Atualizada em
Segunda etapa foi apresentada em reunião Ascom Faet/Senar

Lançado em 2013 pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), o projeto Agronegócio Competitivo, executado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), teve sua segunda etapa apresentada nesta segunda-feira, 29, por técnicos do banco, da CNA e da empresa Macrologística, à representantes do setor agro econômico do Tocantins. O projeto tem o objetivo de contribuir para que o Tocantins se transforme em um Estado preparado para exportar seus produtos agropecuários e se torne mais competitivo no cenário internacional. No Tocantins o projeto é coordenado pela Federação da Agricultura e Pecuária do Estado, presidida por Paulo Carneiro.

 

Participaram da reunião a superintendente Técnica da CNA, Sandra Bezerra; a especialista em Transportes do BID, Kariza Ribeiro; os técnicos da empresa Macrologística, José Vicente Ferraz e Joahnes Velozo Burr; os superintendentes da FAET, Frederico Sodré, e do SENAR Tocantins, Rayley Luzza; o secretário de Estado do Desenvolvimento Agropecuário, Clemente Barros e representantes do Ministério da Agricultura e Pecuária; Embrapa e Conab.

 

Durante a primeira etapa do projeto foram definidas quatro cadeias agrícolas que serão trabalhadas no Tocantins: Abacaxi; Aves, Ovinos e Peixes; Leite e Silvicultura. A partir deste levantamento, de acordo com Sandra Bezerra, serão identificados os investimentos a serem executados para a melhoria das vantagens competitivas do agronegócio. “Neste estudo também foram identificados os principais gargalos enfrentados pelos produtores rurais que trabalham com essas cadeias, e que implicam, diretamente, nas dificuldades para o crescimento e a exportação de seus produtos”, complementou Kariza Ribeiro.

 

Para Frederico Sodré, estes estudos têm o objetivo de tornar o agronegócio do Tocantins mais competitivo, através de ações que vão, desde o fortalecimento das estratégias de diversificação da produção, da pauta de exportação do agronegócio, do diagnóstico da infraestrutura logística existente até a organização de seminários de capacitação dos setores produtivos envolvidos.


Também já está sendo realizado um diagnóstico completo da situação atual do setor agrícola tocantinense referente às cadeias produtivas selecionadas, bem como o seu funcionamento, a análise dos fluxos logísticos existentes e o cálculo estimado dos custos totais para a sua exportação. “Tudo isso para fazer do Tocantins um estado competitivo e pronto para a exportação, uma vez que o Estado já possui um potencial agrícola gigantesco”, reafirmou Rayley Luzza, reforçando que a parceria com a CNA, órgãos e instituições ligadas ao setor é de fundamental importância para o sucesso do projeto.

 

Diagnóstico

A realização dos estudos e desenvolvimento do projeto Agronegócio Competitivo é de responsabilidade da empresa Macrologística. “O Tocantins possui um potencial natural para o setor agrícola, mas é necessário que sejam feitos estudos e implementados projetos para garantir o crescimento desse mercado, investindo em ferramentas de fomento a competitividade. Temos a certeza de que os números de exportação dos produtos do Tocantins vão crescer, bem como a economia do estado”, assegurou José Vicente Ferraz, representante da empresa.