Palmas, Tocantins -

Agronegócio

Ver comentários
Seminário sobre o Matopiba
794 visualizações

Kátia Abreu anuncia realização de Seminário sobre o Matopiba no Tocantins

Ministra Kátia Abreu anuncia “Seminário Planejamento, Inovação, Tecnologia para o Matopiba” em Palmas; Sistema FAET/SENAR faz parte da comissão organizadora
- Atualizada em
Ministra Kátia Abreu anuncia Seminário Ascom/Faet/Senar

A ministra da Agricultura, senadora Kátia Abreu, anunciou, na última sexta-feira, 16, a realização do “Seminário Planejamento, Inovação, Tecnologia para o Matopiba”, que acontecerá em Palmas, no dia 26 de novembro, no auditório Cuica, da Universidade Federal do Tocantins (UFT), às 9h. O anúncio foi feito durante uma reunião, sobre o mesmo tema, com representantes do setor produtivo do Tocantins, a exemplo da Superintendência Federal da Agricultura, Embrapa, Conab, Sebrae, Fecomércio, Fieto, secretarias da Agricultura de Palmas e do governo estadual, além da  UFT e Instituto Federal de Educação.

 

Juntamente com estas entidades, a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Tocantins (FAET) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural do Tocantins (SENAR/TO) farão parte da organização do evento. Nesta reunião, a ministra Kátia Abreu fez um breve relato das prioridades do Matopiba, com explanações de técnicos do Ministério da Agricultura e da Embrapa que discorreram sobre pesquisas e estudos de implantação do Matopiba.

 

De acordo com Paulo Carneiro, presidente do Sistema FAET/SENAR, o Matopiba vai contribuir para promover a inovação, pesquisa, agricultura de precisão e assistência técnica nos Estados envolvidos. “É necessário identificar a dinâmica agropecuária de cada região. E, nesse contexto, o Tocantins se destaca pela sua localização privilegiada. É muito importante o foco nos pequenos e médios produtores, que trará resultados bastante positivos nos índices econômicos para todo o país”, defendeu Carneiro.


O Matopiba é a uma das últimas fronteiras agrícolas em expansão do mundo, e abrange 337 municípios num total de 73 milhões de hectares. A região é considerada estratégica para o Ministério da Agricultura, que tem trabalhado para apoiar o crescimento sustentável dos produtores locais com investimento em tecnologia e assistência técnica.