Palmas, Tocantins -

Agronegócio


Benefício
783 visualizações

Seagro melhora rebanho leiteiro do Estado através de inseminação

O melhoramento genético do rebanho leiteiro de seis municípios do Estado será realizado na próxima segunda, 6. As ações que pretendem inseminar 250 cabeças de gado acontecem até o dia 12.
- Atualizada em

A Secretaria da Agricultura, da Pecuária e do Desenvolvimento Agrário-Seagro realiza na próxima segunda-feira, 6, o melhoramento genético do rebanho leiteiro de  seis municípios do Estado:  Luzinópolis, São Bento, Cachoeirinha, Angico, Santa Terezinha e Nazaré. As ações que pretendem inseminar 250 cabeças de gado acontecem até o dia 12.

 De acordo com o coordenador de Desenvolvimento Animal da Seagro, Claúdio Sayão Lobato, desde quando foi implantado, no ano de 2008, a ação tem melhorado os rebanhos no Estado.  “Através da inseminação artificial temos melhorado muito o rebanho leiteiro do Tocantins, só para se ter uma idéia desde 2008 quando o projeto foi implantado  pela pasta a Secretaria já inseminou  mais de 14 mil cabeças de gado, sendo que desse total temos  250 produtores  atendidos”, explicou.

 Como funciona

 Segundo Lobato, a Seagro custeia o laboratório móvel de melhoramento genético e os técnicos realizam as inseminações. “Os produtores ficam responsáveis pelo exame de brucelose e pela aquisição do sêmen. O custo fica bastante reduzido sendo R$30,00 por cabeça. Esse valor só é possível porque a Seagro disponibiliza os técnicos e os hormônios para a realização da Inseminação Artificial por Tempo Fixo, facilitando o investimento do produtor em tecnologia”, explicou.

 Ainda segundo o coordenador, para participar do projeto o produtor deve entrar em contato com a Seagro ou Ruraltins e apresentar comprovantes de vacinação do rebanho e de exames. “Além de mencionar o peso, a idade das matrizes e informar sobre a questão sanitária e nutricional do rebanho. Com essa ação temos percebido que o produtor tem ganhado bastante, pois além de aumentar a produtividade a cria nasce com uma melhor qualidade genética e a fêmea passa a produzir mais leite”, finalizou.