Palmas, Tocantins -

Agronegócio


2.062 visualizações

Tocantins é referência em tecnologia na cultura de abacaxi de alta qualidade

Para isto é utilizada o plantio baseado no Programa PIF – Produção Integrada de Frutas, reconhecido como referência nacional.
- Atualizada em

 

As tecnologias utilizadas na produção de abacaxi no Tocantins chamam atenção pela alta qualidade produtiva. Uma comitiva de produtores rurais do Estado do Pará visitaram o plantio de abacaxi da Fazenda Roncador, município de Aparecida do Rio Negro, Região Central do Estado.  A propriedade utiliza a prática de plantio baseado no Programa PIF – Produção Integrada de Frutas, reconhecido como referência nacional.

Segundo o coordenador de Desenvolvimento Vegetal da Seagro – Secretaria da Agricultura, da Pecuária e do Desenvolvimento Agrário, José Américo Vasconcelos, frisou que as técnicas praticadas no PIF são eficientes para aumentar a produtividade do abacaxi. “Além de ser um plantio que garante bons frutos, usa também o sistema sustentável, economicamente viável, socialmente justo e ecologicamente correto, possibilitando alta produtividade”, enfatizou.

Para o proprietário da Fazenda Roncador, Giordani Rotta, o uso dessa tecnologia é eficiente em diversos aspectos na cultura do abacaxizeiro. “Entre elas podemos citar o uso reduzido de agroquímico, o que faz um grande diferencial do fruto. As práticas de manejo com o uso adequado, isso tudo resulta numa redução de 60% nos custos, apresentando uma lucratividade excelente”, manifestou.

Produção

A cultura do abacaxi na Fazenda é inserida na Produção Integrada de Frutas desde  2005. A plantação é no sistema irrigado por meio de pivô central. O proprietário conta que iniciou com 900 mil pés da fruta e atualmente possui uma plantação de 1,8 milhão de pés de abacaxi, numa área de 58 hectares. “Para chegar a esse patamar tivemos que usas as novas tecnologias disponíveis, o que nos permitiu esse crescimento”, lembrou.

Produtores

Antonio Siqueira, um dos produtores visitantes do Estado do Pará, conta entusiasmado o que presenciou nas lavouras de abacaxi no Tocantins. “O que vimos aqui é um verdadeiro exemplo de propriedade organizada e produtiva. Essa nossa visita proporcionou nova visão para o plantio do abacaxi. Lá no Estado do Pará já plantamos há alguns anos, mas ainda estamos utilizando a velha “roça de toco”. Agora iremos levar essas novidades para os nossos produtores”, almejou.

Já o produtor Jovair Soares da Silva, do município de Marabá, no Pará, também manifestou interesse em usas as boas práticas na sua plantação de abacaxi. “Há cinco anos venho plantando, hoje tenho 200 mil pés de abacaxi. Com esse aprendizado aqui no Tocantins, animei, agora pretendo seguir em frente e cultivar muito mais. Foi uma grande experiência, que vai trazer bons resultados para os agricultores do Pará”, destacou.

São João

Na tarde desta quinta-feira, 13, os produtores estiveram no projeto de Assentamento São João, município de Porto Nacional, onde conheceram a propriedade do irrigante Marcelo Galati. O assentamento usa o plantio irrigado convencional, numa área de 70 hectares e 1,5 milhão de pés de abacaxi. “Notamos que a plantação está muito boa e queremos expandir. Em outubro plantaremos mais 1,5 de pés do fruto, e em fevereiro de 2013, mais 1 milhão”, contou Galati.

Programa PIF

O programa PIF do abacaxi propõe a prática sustentável, gerando economia e respeito ao meio ambiente. O programa é do governo federal coordenado pela Embrapa Mandioca e Fruticultura da Bahia, em parceria com o Ruraltins – Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins, Adapec – Agência de Defesa Agropecuária, Sebrae – Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas e SFA – Superintendência Federal de Agricultura.

(Da assessoria).

Notícias sobre:

pif tocantins seagro