Apoio indefinido: em Taquaruçu, prefeita deixa claro que o compromisso era com Gomes

Cinthia acenou, em discurso em Taquaruçu, que seu apoio deverá ser para Eduardo Gomes para governo. Como essas definições não precisam acontecer agora, o compromisso deve ser firmado mais adiante

Apesar de algumas manchetes insistirem em carimbar o apoio da prefeita Cinthia Ribeiro para este ou aquele pré-candidato, quem ouviu o discurso dela em Taquaruçu na última sexta-feira, 8, entendeu o recado: o compromisso para governo era/é com Eduardo Gomes, senador, que estava presente.

 

O evento era para dar a ordem de serviço para o início das obras do Centro de Arte e Cultura, obra polêmica que já mudou de nome três vezes desde que o senador ofereceu à comunidade um recurso da ordem de R$ 3 milhões numa reunião da Câmara de Palmas, no evento Capital por um dia há dois anos, antes do começo da pandemia.

 

Abre parênteses.

 

A polêmica aconteceu porque não era um pedido dos promotores de cultura locais. Estes entraram em discussão primeiro com o senador, que disse que o projeto poderia ser adaptado ao desejo da comunidade. Depois com a prefeitura, pois não houve debate com essa mesma comunidade. Como dinheiro não se recusa, a verba veio, a licitação correu e, quando o grupo ligado ao tema se deu conta, já tinha empresa vencedora e o local seria no campo de futebol do distrito. Que ninguém quer abrir mão.

 

O espaço inicial é uma área que já foi invadida para loteamento irregular - e desocupada - que tem lá a casa dos duendes, e que está na justiça sobre a titularidade. A área, no seca bagaço, é do município, porém a discussão jurídica ainda vai se arrastar. Portanto, não se pode utilizar recurso federal nela. Mas municipal pode. E, para contornar o desgosto da comunidade (em geral) com a retirada do campo, a prefeita Cinthia Ribeiro determinou que o campo fique até terminar o novo, que será feito com recursos municipais lá na tal área complicada.

 

O tema foi falado no discurso do governador no mesmo dia em evento ocorrido no final da tarde, em que houve desfile cívico militar, por ocasião da incorporação do Colégio Estadual Duque de Caxias à PM. Um lindo desfile, com discurso no final. A fala de Wanderlei Barbosa foi no sentido de que pedirá à prefeita Cinthia que não retire o campo dalí.

 

Fecha parênteses.

 

Antes, na hora do almoço, o governador chegou para almoçar com o vereador Marilon Barbosa, seu irmão e seus assessores no Mandala, de frente à praça Maracaípe. Lá, encontrando a prefeita Cinthia Ribeiro com o marido, Eduardo Mantoan. Os dois se cumprimentaram com simpatia e conversaram rapidamente.

 

Nos bastidores, o Blog apurou que o governador esteve no Paço Municipal há alguns dias, e que a senadora Kátia Abreu tem intermediado a conversa entre os dois sobre a possibilidade de um apoio futuro de Cinthia Ribeiro a Wanderlei.

 

O que ocorre é que com Ronaldo Dimas, a prefeita tem dito que não vai. Problemas entre os dois, incluindo um bloqueio equivocado nos bens de Cinthia por conta de um imóvel que era do primeiro casamento de João Ribeiro, azedou lá atrás a relação entre os dois.

 

Nos dias mais recentes, Dimas também não teria feito nenhum gesto de aproximação com a prefeita, e quem foi à Brasília a convite de Gomes para tentar estabelecer um diálogo foi Mantoan. Mas as coisas não avançaram.

 

A fala da prefeita, que está gravada e imortalizada, é que ela espera pedir votos para governador para Eduardo Gomes... Só não sabe quando isso acontecerá.

 

Antes disso, o senador tinha falado, dando o tom de que “é preciso escolher certo”. Relembrou que quando apoiou Cinthia, fez o que era “o certo para Palmas” e que agora é preciso escolher não o mais simpático, mas o mais competente. Uma analogia a Barbosa e Dimas.

 

A equipe do senador, antes disso, acionou a deputada federal professora Dorinha, que estava em outro evento, para que comparecesse ao de Taquaruçu. Dorinha chegou de salto alto e vestida para outro ambiente, pois não estava na programação.

 

Ao ser chamado para falar, Gomes já se dirigia ao palco quando fez meia-volta e disse: “as damas primeiro”. E chamou Dorinha para fazer uso da palavra. Fora do script. Muito querida e também apoiadora da prefeita nas últimas eleições, a deputada falou e se dispôs à conseguir recursos para ajudar na construção do campo de futebol definitivo.

 

Na sequência, a prefeita Cinthia retribuiu a gentileza e chamou Dorinha de “nossa futura senadora”, emendando: “pode profetizar?” A fala foi interpretada como declaração de apoio, porém nos bastidores não há martelo batido e ponta virada. Fica difícil para Cinthia apoiar o governador de uma chapa e a senadora de outra. Até porque quem está fazendo esta construção é a senadora Katia Abreu, pela qual a prefeita não se cansa de demonstrar admiração.

 

Como essas definições não precisam acontecer agora, o apoio de Cinthia Ribeiro ainda será sacramentado mais adiante.

Comentários (0)