Palmas, Tocantins -

Blog da Tum

Roberta Tum

Roberta Tum

roberta.tum.9 @robertatum

Colunista do Editorial Blog da Tum


Efeito “pedagógico”
3.516 visualizações

Após divulgações de áudios de Marilon, prefeita exonera indicações do vereador

O vereador pediu encontro presencial com Cinthia após os áudios circularem no Whatsapp. A resposta veio ontem, 8, no Diário Oficial, em que foram exonerados todos os indicados por ele...
- Atualizada em
Descrição: Marilon Barbosa e a prefeita Cinthia Ribeiro. Divulgação

O vereador Marilon Barbosa, do Democratas, vive dias difíceis com sua base. Desde que circularam em grupos de Whatsapp áudios seus, vazados de conversas que teve no grupo dos vereadores da capital, o ex-presidente da Casa viu sua relação com a prefeita Cinthia Ribeiro (PSDB) azedar de vez.

 

Os áudios tratavam de orientação de Marilon aos vereadores do grupo que deu sustentação à presidente Janad Valcari, para que não fossem a um almoço na chácara do vereador José do Lago Folha Filho na semana passada.

 

Folha, como se sabe, é dos mais ligados à Cinthia e trabalha para que a relação da prefeita com sua base se estreite ainda mais. Por isso, o almoço. Já Marilon, em um dos áudios, recomenda que o (seu) grupo só vá ao almoço se forem todos e alerta que a intenção da prefeita é quebrar a unidade do grupo de Janad: “esse é o jogo dela”.

 

O vereador vai além em outro áudio e diz que quem ficar com a prefeita não terá condições de reeleição. Pelo tom, condições financeiras. “Viu, presidente, esse grupo não pode esparifar... porque eu conheço o outro grupo. Vai viver quatro ano (sic) na lona...”

 

Marilon cita Diogo Fernandes e Lúcio Campelo como vereadores que teriam acreditado numa ajuda (financeira), que não teria vindo, e não conseguiram se reeleger.

 

Na verdade, os dois ex-vereadores ficaram no MDB, que elegeu apenas um vereador: Rogério de Freitas. Embora bem votados, Campelo e Diogo não conseguiram a segunda e terceira vagas por que o partido não fez legenda para três.

 

Exonerações no Diário Oficial de quinta-feira

 

Conforme o Blog apurou, a prefeita teria entrado em contato com Marilon Barbosa pelo Whatsapp e questionado sobre a autoria dos áudios. O vereador não negou. Se disse insatisfeito com o tratamento que está recebendo e pediu audiência presencial com a prefeita.

 

A resposta de Cinthia Ribeiro veio no Diário Oficial de ontem, quinta-feira, 8. Todos os indicados do vereador na “cotinha” que cada membro da base tem, foram exonerados, inclusive a esposa de Marilon, Elionice Lima, que ocupava o cargo de secretária executiva da Fundação Cultural da capital.

 

Segundo uma fonte próxima da gestora, a reação é natural. Quem é base, é base. Quem não é leal e ataca a prefeita pelas costas, não deve permanecer participando da gestão. “O efeito maior é pedagógico”, ouvi.

 

Irmão do vice-governador Wanderlei Barbosa, Marilon tem sua cota também no Estado. Mas, sem a prefeitura sofre um revés. Nos bastidores, a atitude da prefeita não teria causado nenhum desconforto no Palácio Araguaia. Afinal, o jogo tem sido esse em todas as esferas: quem está dentro, tem tudo. Quem está fora, nada.

Outras Notícias