Palmas, Tocantins -

Blog da Tum

Roberta Tum

Roberta Tum

roberta.tum.9 @robertatum

Colunista do Editorial Blog da Tum


Análise
1.136 visualizações

Carlesse, o buracão, o Hospital e as lendas do Boitatá

Algumas lendas estão começando a se tornar realidade nesse Tocantins “véi, sofrido”
- Atualizada em
Descrição: Governador do Tocantins, Mauro Carlesse Esequias Araújo/Governo do Tocantins

Se a lenda do Boitatá é portuguesa ou indígena, não dá para arriscar ao certo. Depende da fonte onde se pesquisa. O certo, é que, abrasileirada, essa lenda recorrente na região amazônica conta uma estória de uma cobra dos olhos de fogo, que protege a floresta.

 

Pode se disfarçar de tronco de árvore morta, mas vive mesmo é no fundo dos rios, pronta para de lá emergir e queimar vivos os caçadores e madeireiros que entram na floresta para retirar grandes árvores centenárias ou tirar a vida de animais sem necessidade. Assim se conta no Norte e Nordeste.

 

No Tocantins, nós jornalistas nos acostumamos a conviver com muitas lendas. Querem ver?

 

Grandes empresários e corporações chinesas e japonesas, objeto de várias missões de governadores para o Japão e a China em busca de investimentos. Nunca deu em nada.

 

Quantas reuniões cobrimos também de representantes de grandes empreendimentos que aqui vieram atrás de benesses fiscais, terras doadas a preço de banana para fazer grandes empreendimentos e lançar milhares de empregos? Nem dá para contar... parece lenda do Boitatá.

 

Lá em Araguaína, por conta de tanta promessa, muita gente andava desacreditada.

 

Era o caso do buracão, lembram? Aquela imensa erosão, no meio da cidade. Entrava prefeito, saia prefeito, entrava governo, saía governo, e olha o buracão lá... pronto para engolir tudo nas tempestades de verão que a cidade estava habituada a ver.

 

Por muito tempo, achamos que Ferrovia Norte Sul era uma lenda. Até que os trilhos viraram realidade. E, apesar de que não nos serve para muita coisa, já transporta grãos, que nem vemos, combustível, que também não vemos. Mas já movimenta a economia.

 

Nos últimos anos começamos a escutar que uma nova ponte seria erguida em Porto Nacional. Que a ponte antiga está condenada. Circularam fotos de rachaduras nas vigas. Fecharam a ponte. Voltaram as balsas...

 

E nos últimos meses.... surpresa! Olha lá as vigas da ponte começando a serem erguidas.

 

E aí, tem que dar o crédito. A César o que é de César, e a Carlesse o que é de Carlesse.

 

A ponte vai se tornando uma realidade... Fruto de teimosia, obstinação, deem o nome que quiserem. Mas está lá, acontecendo, depois que a Caixa “lencou”com o financiamento e o Governo do Estado buscou o BRB.

 

E o novo Hospital de Gurupi, que tanta briga rendeu entre Kátia Abreu e Marcelo Miranda, naquele vai não vai, lentidão que não acabava nunca. E a obra engasgando? Terminou a novela. Será entregue nas próximas semanas, pelo que se sabe.

 

É por estas e outras, que vendo ontem toda a movimentação do governo em torno do Hospital Geral de Araguaína, as postagens nas redes da deputada Luana Ribeiro, e recebendo no meu WhatsApp tantas mensagens de deputados que nem são da região, mas fazem questão de “pegar uma beirinha”e mostrar que ajudaram de alguma maneira o projeto que vai se transformar em obra, me peguei pensando...

 

 

 

Não é de se estranhar que o povo de Araguaína e região estejam igual gato escaldado que tem medo da água fria. Afinal, já se falou tanto de um hospital desse porte em Araguaína... que parece mesmo lenda do Boitatá.

 

Mas Carlesse merece o benefício da dúvida. E vou dizer o motivo. Goste dele ou não, até seus adversários devem ser capazes de enxergar uma coisa: quando determina um objetivo, o governador cumpre.

 

Em seu favor, são R$ 30 milhões na conta para começar a obra.

 

O que virá pela frente, só o tempo e as circunstâncias dirão: tempo de realização, quem vai inaugurar, quando...

 

Uma coisa, no entanto, a gente já sabe: algumas lendas estão começando a se tornar realidade nesse Tocantins “véi, sofrido”.

 

Este hospital, caminha para virar realidade, quebrando assim mais um ciclo de desconfiança.

Outras Notícias