Com reforma, Cinthia ajusta auxiliares e cobra execução do Plano de Governo

Reforma da prefeita, move peças no tabuleiro, sinaliza seu descontentamento com núcleos de poder que se formaram e traz determinação clara para cumprimento do Plano de Governo...

A prefeita Cinthia Ribeiro não mandou recado. Tratou pessoalmente da reforma administrativa para entrar o mês de maio deste ano com os pés na rua, visitando obras, e cobrando resultados de um secretariado que estava acomodado ou executando seus próprios planos ao invés do Plano de Governo que ela levou às ruas na sua reeleição.

 

O que se viu no Diário Oficial semana passada também foi resposta aos autores da MP desastrosa, que teve que ser anulada diante dos desacertos em áreas que só geraram desgaste para a gestão. “Encomendei uma reforma para enxugar pastas, diminuir despesas e o que recebi foi um documento onde cada um quis beneficiar o seu (lado) e que além de incompreendida só trouxe problemas”, disse ela em reunião que precedeu a reforma.

 

Irritada, a prefeita preferiu o desgaste de dar um passo atrás do que seguir com algo que desagradava a muitos e não resolveria os problemas.

 

Mas os responsáveis pela peça sentiram.

 

Mila sai fortalecida, Rogério concentra articulação política e novos nomes assumem

 

De toda a reforma, o que fica nítido até para quem desconhece os bastidores do secretariado da prefeita, é o fortalecimento da secretária Mila Jaber. Ela deixa o Desenvolvimento Econômico e assume a pasta do Planejamento, no comando de um grande orçamento, mas não maior do que ela própria comandou no Ministério da Agricultura quando era a executiva direta da então Ministra Kátia Abreu.

 

O secretário Rogério Ramos, que acumulava Finanças e a pasta de Governo, passa a comandar exclusivamente política da gestão. Uma providência útil e necessária num ano eleitoral, em que a própria esposa Martha Ramos é nome forte do PSDB à Câmara dos Deputados, e em que a Câmara de Palmas vai passar pela eleição da Mesa Diretora. Em novos tempos e novo cenário, o natural é que a gestão faça o sucessor ou sucessora de Janad Valcari, que já está com um pé na Assembleia Legislativa.

 

Mila, além de assumir uma pasta forte, deixou seu sub-secretário no comando do Desenvolvimento Econômico. Gustavo Bottós vem com todo gás para deixar também a sua marca na gestão.

 

Na Finanças, a escolha da servidora de carreira Vera Isomura, não chega a ser uma novidade, uma vez que ela já passou pela pasta anteriormente.

 

No equilíbrio de forças políticas, o retorno de Edmilson das Virgens para a gestão, na Casa Civil, é uma sinalização de que ele recupera o prestígio com o casal Cinthia e Eduardo Mantoan, de quem é amigo há anos, mas com quem ficou estremecido quando da sua saída da gestão.

 

Na Infra, o recado foi dado para que Antonio Trabulssi saia do tapa buracos e execute a pavimentação que está no Plano de Governo.

 

Na Saúde, a prefeita cobrou o secretário Thiago que licite e execute a UPA Veterinária. Quem deu um empurrãozinho no tema, que tem sido lembrado com frequência pelas ONGs, foi o delegado Hudson, convidado pela prefeita para filiar-se ao PSDB, e que provavelmente disputará eleição para Deputado Federal. Afinado com a causa animal, este foi um dos temas que colocou como pauta para ajudar a gestão avançar.

 

Em resumo, bem resumido, a prefeita volta a puxar o comando e cobra que a cidade fique melhor cuidada. Em três meses vai dar para sentir o resultado, já que agora as chuvas já eram, e o tempo é de construir o que foi prometido.

 

Foto: Edu Fortes/Prefeitura de Palmas 

Comentários (0)