Palmas, Tocantins -

Blog da Tum

Roberta Tum

Roberta Tum

roberta.tum.9 @robertatum

Colunista do Editorial Blog da Tum


Análise
2.116 visualizações

Liderando, Cinthia fortalece candidatos a vereadores e pode garantir dez em sua base

Prefeita não entra no clima do já ganhou, fortalece seus candidatos melhor posicionados na reta final e trabalha para eleger nove. Gomes fortalece Solange para compor base com dez...
- Atualizada em
Descrição: Cinthia Ribeiro (PSDB). Divulgação

A menos de dois dias da eleição, a prefeita Cinthia Ribeiro (PSDB-45) tem posição consolidada à frente da preferência do eleitorado palmense, fruto de uma campanha propositiva, que não entrou no vale tudo de setores da oposição. Mesmo assim, nos bastidores, rechaça o já ganhou e pediu aos seus candidatos a vereador empenho até as 17 horas do domingo, quando começa a contagem dos votos.

 

Mantendo a linha de apresentar propostas e fechar compromissos com segmentos da comunidade mais abertos à sua gestão, ela consolidou o apoio da maior parte do funcionalismo municipal que fidelizou, ao fazer o pagamento de progressões muitos esperadas e manter a assiduidade da folha. Apesar de receber muitas críticas dos que acham que ela é fechada ao diálogo, abriu um nomo momento de negociação na educação, pacificando uma crise alimentada por muito tempo na gestão Amastha.

 

As respostas pontuais à ataques, numa atuação discreta mas eficiente da sua bancada de assessores jurídicos, conduzidos pelo advogado Solano Damascena, também garantiram que acusações não ficassem completamente sem respostas.

 

Tudo isso, mais o fracionamento das oposições em diversas candidaturas, compuseram um cenário que dá segurança à prefeita e permite que ela trabalhe para fortalecer seus companheiros e ampliar sua base na Câmara.

 

Municiado por uma pesquisa que mandou fazer para medir preferência do eleitorado por vereadores, o senador Eduardo Gomes entrou em campo ans duas últimas semanas da campanha em Palmas, com viagens pontuais pelo interior. Reforçando os mais próximos a ele na sua base, está também ajudando a prefeita a garantir a maioria que precisará para uma melhor relação com a Câmara, que deve renovar em 50% ou mais suas cadeiras.

 

PSDB pode chegar a três vagas

 

O PSDB, partido da prefeita, calcula fazer dois vereadores com coeficiente e projeta a terceira vaga com a sobra mais os votos de legenda da cabeça de chapa (que na regra, são contados em 50%).

 

No grupo dos vereadores com mandato se destaca Felipe Martins, o Filipinho (aquele do arco-iris) que deve renovar o mandato. Eudes Assis (da equipe que comandou o turismo na gestão da prefeita) lidera os novos com mais intenção de voto, seguido de Fátima Senna. Também entre as lideranças novas estão Valtônia do Jardim Taquari (bairro bastante bombardeado por centenas de candidatos) e Cida do Comam. 

 

A briga lá é dura porque a legenda tem ainda dois vereadores de mandato: Major Negreiros e Juscelino Rodrigues. 

 

Segundo partido de maior expressão no grupo da prefeita, o MDB não faz mais que uma vaga. E disputadíssima, pois abrigou três vereadores com mandato. Na liderança vai Rogério de Freitas, bem ligado ao senador Eduardo. Porém na cola dele seguem Diogo Fernandes e Lúcio Campelo, que muitos consideravam fora do processo, mas que mostrou bastante força nesta reta final.

 

Também partido do primeiro time da prefeita, o Democratas deve ter o vereador mais votado da cidade, na figura do atual presidente da Câmara, Marilon Barbosa. Este que desta vez, não disputa o reduto com ninguém da família e tem o apoio incondicional do irmão, vice-governador Vanderley Barbosa. Sua reunião de fechamento de campanha, na quinta-feira, 12, na praça Maracaípe, foi uma demonstração de inequívoca de força.

 

Em segundo no Democratas deve ficar o jovem Pedro Cardoso, estreante na disputa, mas que vem com muita força e a estrutura do gabinete do pai, deputado Cleiton Cardoso. Mas atrás dele, com estrutura financeira boa também está Gustavo Farias. Para fazer dois, o Democratas tem que bater a marca de 12 mil votos, embora sua direção confie na terceira vaga, dificilmente a sobra será suficiente.

 

O quarto partido, menor em tamanho mas que foi muito bem organizado e lançou nominata de 28 candidatos é o Patriotas, do vereador José do Lago Folha Filho. Este, com reeleição garantida, puxa mais um, se os votos da média se manterem no projetado. No bloco de Folha tem Conceição, irmã do secretário Carlos Braga, Humbertinho (Humberto Alencar), do TCE, Marquinhos da Civil e Henrique Fragata, entre outros nomes. Pode ser a grande surpresa, batendo o histórico MDB.

 

 

O PSC do vereador Vandinho por sua vez não tem demonstrado fôlego para eleger um, devendo perder a vaga na Casa.

 

Por último e não menos importante, o Avante deve fazer o nono vereador da base, com leve vantagem para Waldson, ex-Agesp. Ele, que se manteve fiel à prefeita no rompimento com a base de Carlos Amastha disputa entre outros com o ex-vereador, Pastor João Campos, ligado a Eli Borges e com a profissional da saúde, respeitadíssima, Magna. Ela que atuou por anos no HGP e depois na coordenação das UPA’s.

 

PT com Solange, pode somar-se ao grupo de Cinthia

 

Fazendo campanha para a mulher, Solange Duailibe, o ex-prefeito Raul Filho pode ser a ponte para que a prefeita saia das urnas no domingo no entanto com 10 vereadores alinhados à gestão dela. No MDB, Raul integrou a campanha de Cinthia já na reta final e tem contado com o ajuda bem próxima do senador Eduardo Gomes para ampliar a base de Solange na Capital.

 

Solange disputa com Eutália, que vem dos movimentos sociais, movimento de luta pela moradia, e que está na rua com cerca de 200 militantes pedindo votos para ela. Em live no meu perfil do Instagram, a candidata petista assumiu defender a bandeira dos direitos das mulheres e dos LGBT’s, da educação e se posicionou em favor do SUS e do SUAS.

 

Na disputa também pelo PT está o professor Edy, que deixou o PC do B recentemente e decidiu construir seu partido em busca de uma vaga na vereança pelo PT. Sua movimentação tem sido grande nas redes.

 

PC do B e PSOL: a esquerda em busca do sonho

 

Sem representante na Câmara, e com candidatos que não despontam na dianteira da disputa majoritária, o PC do B e o PSOL perderam a chance de junto com PT e talvez PDT, construir uma alternativa de esquerda forte. As candidaturas de Vilela e Bazoli não se mostraram competitivas, embora o PT deva garantir 2% de votos válidos pela legenda mítica que carrega.

 

Para os candidatos a vereadores no entanto a luta é árdua. No PC do B, que construiu uma chapa mais numerosa, a expectativa é grande em torno de três nomes: Professora Germana, Professor George e Lico, um candidato popular de Buritirana. A direção acredita que faz no coeficiente, mas o partido pode disputar uma das vagas das sobras.

 

De concreto, a projeção é que em torno de 14 vereadores entrem via coeficiente, e cinco com as maiores sobras, o que dá uma chance às esquerdas.

 

Com poucos candidatos, o PSOL trouxe uma nova estrela: a ativista social, Charleide, da ONG Pérolas Negras. Ao Blog ela disse estar confiante no voto das mulheres e do movimento negro. Uma luta de Davi contra Golias, mas que pode estar plantando uma nova semente para eleições que virão.

Outras Notícias