Palácio reúne deputados as 18hs para alinhar apoio a Dorinha: Vilmar articula Ataídes

As próximas 48 horas serão decisivas para ajustes dos grupos na eleição majoritária no Estado. Na véspera do anúncio da aliança entre Wanderlei Barbosa e Dorinha, o governador reúne deputados

Wanderlei e Dorinha anunciam aliança na terça
Descrição: Wanderlei e Dorinha anunciam aliança na terça Crédito: Portal do Amaral

O governador Wanderlei Barbosa tem uma missão dura pela frente: alinhar sua base de apoio para que não aconteça com a professora Dorinha, o que aconteceu com a senadora Katia Abreu. Uma conversa com os deputados estaduais da sua base está marcada para o final da tarde. É o estilo dele: conversar, ouvir. Mas depois de fazer duas tentativas de reunião nos últimos dias, uma com seis e outra com três deputados, Barbosa deve juntar a turma desta vez para dizer que a candidata ao Senado é Dorinha. E ponto.

 

O que já está acontecendo mesmo antes do lançamento oficial da chapa, amanhã, terça-feira, 19, pode ser uma fritura a fogo brando, de bastidores, do nome de Dorinha. 

 

É o que se escuta quando partimos para perguntar aos deputados estaduais da base do governo, quem cada um apoiará para o Senado. “Não está totalmente alinhado ainda”, diz um. “Estamos esperando o governador”, diz outro. “A deputada tem que dizer claramente o que os deputados terão (e$trutura) ao seguir apoiando seu nome. Se ela está esperando que o Palácio entregue os deputados num pacote a custo zero, isso não vai acontecer”, disse um terceiro ao Blog.

 

Ninguém quer ver seu nome publicado, mas a realidade é que o ex-senador Ataídes de Oliveira está fazendo sua incursão entre deputados assim como fez entre vereadores. “Esta eleição majoritária está parecendo uma proporcional, em que vai vencer quem tiver mais apoios de líderes”, ouvi de um parlamentar. O objetivo de Ataídes é juntar dez.

 

Encabeçando o apoio a Ataídes e buscando os colegas para este projeto, está o deputado Vilmar do Detran. O Blog procurou ouvi-lo sem sucesso na manhã desta segunda-feira, 18.

 

Outro que tem feito vistas grossas para que seus aliados (vereadores) apoiem Ataídes, é o deputado Amélio Cayres, que o blog também tentou ouvir,após seu retorno de férias, da Bahia. Ele foi seco na resposta. Disse que desconhece o movimento de apoio a Ataídes. Cayres não se acertou ainda com Dorinha, mas já tem uma conversa agendada.

 

Se por um lado, Ataídes busca a sua eleição acertando apoios avulsos e caminha em busca do palanque de Osires Damaso para uma dobradinha a governador, a deputada professora Dorinha desembarca no governo para somar o que ela tem, ao que o Palácio tem. “Agora é casamento. Vai caber a cada um deles juntar os filhos que já tinham de antes e alinhar tudo em volta de uma mesa”, disse uma fonte palaciana ao Blog.

 

Dorinha já definiu suplente e terá estrutura para deputados

 

A professora Dorinha vira a chave da campanha esta semana, me garantiu um grande aliado seu. Se não tinha dinheiro até aqui e manteve a popularidade, agora vai organizar as estruturas de apoio a cada deputado. “Vai ter estrutura diferentes, mas tem para deputado de mandato e candidato sem mandato mas com potencial”, dizem seus líderes.

 

Esses recursos virão do suplente (nome definido e guardado a sete chaves) e do fundo partidário, além do tempo de televisão. É muito dinheiro para um estado de pequeno porte, e com ele vem o desafio de gastar dentro da lei, e prestar contas corretamente.

 

O certo é que a eleição mais disputada este ano, por enquanto é a de Senador.

 

Carlesse entra no jogo e quer juntar cinco estaduais

 

O ex-governador Mauro Carlesse, por sua vez está no jogo. Reativou suas redes sociais, montou equipe e começou a passear pelo estado para sentir a quantas anda tanto a receptividade, quanto a rejeição ao seu nome.

 

Na praia de Peixe foi recebido por um vereador da cidade que circulou com ele. Ele teria sido ovacionado por grupos de jovens, mas muitos líderes tem evitado sua companhia, temendo constrangimento. Faltou a Carlesse, lá atrás, assumir o controle da narrativa do que aconteceu de fato no governo e na sua retirada de cenário, onde grandes forças políticas estiveram em jogo. Depois de ter seu pedido de impeachment aprovado por 24 deputados, o ex-governador busca através de aliado restabelecer o diálogo com alguns e trabalha com a possibilidade de ter cinco apoiadores.

 

O que acontecerá num cenário de cinco a seis candidatos a Senado no Tocantins? Kátia Abreu, com forte estrutura política, grupo e prefeitos; Professora Dorinha com sua estrutura do União Brasil, e o apoio do Palácio; Ataídes Oliveira, com estrutura financeira e o histórico de Senador; Mauro Carlesse, ex-governador, com um pacote de obras na memória recente em todo Estado para mostrar; Wanderlei Luxemburgo, e agora o Pastor Claudemir, do Patriotas. 

 

Muita água ainda rola neste final de julho até o dia 5 de agosto, data limite das convenções, mas as próximas 48 horas serão definitivas.

Comentários (0)