Palmas, Tocantins -
Um ano

Ato intitulado “Quem mandou matar Marielle?” acontece nesta quinta, em frente à UFT

Manifestantes prestam homenagem e cobram solução do caso. A partir das 20h, acontece uma vigília na Casa 8 de Março
- Atualizada em

Os assassinatos de Marielle Franco e Anderson Gomes, que completaram um ano hoje, 14, ainda seguem sem grandes respostas. Atos intitulados “Quem mandou matar Marielle?” acontecem por todo país nesta quinta.

 

Em Palmas, o encontro acontecerá a partir das 17h30, em frente à Universidade Federal do Tocantins (UFT). Os manifestantes querem batizar a via que dá acesso à universidade, simbolicamente, de Marielle Franco. Depois, no mesmo dia, acontece uma vigília na Casa 8 de Março (305 Norte, Rua 21), a partir das 20h.

 

Prisão de Suspeitos

 

Uma operação conjunta do Ministério Público e da Polícia Civil do Rio de Janeiro prendeu na madrugada de terça, 12, dois suspeitos de matar a vereadora Marielle Franco e o motorista Anderson Gomes. Os suspeitos são Ronie Lessa, policial militar reformado, e Elcio Vieira de Queiroz, que foi expulso da Polícia Militar.

 

Crime

 

O crime ocorreu no cruzamento das ruas Joaquim Palhares, Estácio de Sá e João Paulo I, pouco mais de um quilômetro distante da casa de Marielle. Um carro emparelhou com o chevrolet Agile da vereadora e vários tiros foram disparados contra o banco de trás, justamente onde estava Marielle. Treze disparos atingiram o carro.

 

Quatro tiros atingiram a cabeça da parlamentar. Apesar dos disparos terem sido feitos contra o vidro traseiro, três deles, por causa da trajetória dos projéteis, chegaram até a frente do carro e perfuraram as costas do motorista Anderson Gomes. Os dois morreram ainda no local.