Palmas, Tocantins -
Em Araguaína
763 visualizações

Adolescente de 15 anos dá curso como confeiteiro após aprender a ocupação na internet

. Neste sábado, 13, a partir das 8 horas, adolescente irá compartilhar seu conhecimento com uma turma de 15 pessoas
- Atualizada em
Gabriel Silva, de 15 anos Divulgação

O estudante Gabriel Silva, de 15 anos, soube bem utilizar a internet para algo que trouxesse benefício para ele sua família. Gabriel se tornou confeiteiro motivado por uma rede social. Neste sábado, 13, a partir das 8 horas, adolescente irá compartilhar seu conhecimento com uma turma de 15 pessoas.

 

A aula será ministrada casa onde mora, localizada à Rua Rodoviária, 1605, Setor Araguaína Sul. O curso já tem uma nova turma na lista de espera e Gabriel está firmando parceria com o Conselho Consultivo das Associações de Bairro de Araguaína (CCABA) para ministrar a aula na sede do Conselho no próximo mês.

 

Na oportunidade, ele ensinará desde a massa até a decoração dos bolos. O curso já tem uma nova turma em formação e o Gabriel, empolgado, espera motivar outros adolescentes. “A gente vê muitas pessoas da minha idade se envolvendo com coisas erradas. Quero mostrar que com trabalho e dedicação a gente pode conquistar o que quiser”, ressaltou.

 

Como tudo começou

 

“Seguia o perfil de uma confeiteira muito talentosa daqui de Araguaína e os posts dela me inspiraram a querer fazer o mesmo”, afirmou o adolescente. A primeira oportunidade veio quando a tia de Gabriel, com quem ele mora no Setor Araguaína Sul, quis comemorar o aniversário do filho.

 

“Me ofereci para fazer o bolo do aniversário do meu primo e ficou bom. Logo depois, uma amiga da escola me pediu para fazer um bolo para o aniversário dos pais dela, daí foram surgindo outras encomendas”, contou.

 

Dando originalidade

 

Com o tempo, o estudante que no início usou massa pronta desenvolveu a própria receita de bolo, além de outros doces. Gabriel criou um perfil na rede social Instagram (@gabriielcandy) para expor seu trabalho. “Hoje, recebo uma média de 20 a 25 encomendas por mês. Com isso, consigo manter minhas despesas pessoais e ajudo minha tia no orçamento da casa”.

 

A mãe de Gabriel, Verônica Silva, citou orgulhosa as conquistas do filho. “Foi com a venda de bolos que ele comprou o celular, o guarda-roupas e outras coisas. É bom vê-lo se dedicando a algo tão positivo”.

 

Dedicação

 

Com o orçamento apertado, o Gabriel nunca participou de cursos presenciais, foi aprendendo tudo sozinho e se aperfeiçoou buscando dicas na internet. “Fiz um curso online só para me certificar de que estava fazendo do jeito certo, fiquei feliz ao confirmar que sim”.