Palmas, Tocantins -

Cidades


Araguaína
821 visualizações

Após recomendação do MPF Iespa suspende vestibular

Foi suspensa também a divulgação de provas e de cursos oferecidos em todos os meios da Iespa. O MPF tomou as providências depois de receber denúncias de que a instituição não é autorizada pelo MEC, conforme propagado.
- Atualizada em
Descrição: Ministério Público Federal no Tocantins Web

O processo seletivo da Iespa - Instituto de Ensino Superior e Pesquisa de Araguaína, marcado para o último sábado, 9, assim como a divulgação do evento, foi suspenso após recomendação do Ministério Público Federal no Tocantins (MPF-TO). O Iespa informou o acatamento integral das medidas recomendadas.

Desta forma, já foram suspensas as inscrições para os cursos de graduação em Educação Física, Matemática, Psicologia, Letras, Nutrição, Pedagogia e Serviço Social oferecidas pela instituição de ensino, no município de Araguaína. Também estão suspensas as atividades referentes a quaisquer outros cursos de graduação, pós-graduação e formação complementar. Segundo ofício encaminhado dia 5 de setembro pela diretora executiva da instituição ao procurador da República no Município de Araguaína, João Raphael Lima, foram retiradas as informações do site e suspensa a entrega de panfletos e chamados no rádio, além do próprio processo seletivo.

O MPF/TO fez a recomendação após denúncia via internet noticiando a publicidade dos cursos. Consulta à lista de instituições de ensino superior credenciadas no Tocantins (http://emec.mec.gov.br) comprovou que a instituição não tem autorização do MEC para ministrar cursos de graduação e pós-graduação no estado. A recomendação considera a prática ilegal e capaz de causar graves danos aos alunos e à sociedade em geral, pois se trata de instituição irregular que afirma ministrar cursos reconhecidos pelo MEC, inclusive na área de saúde.

Também foi considerado que a prática é completamente contrária à Constituição Federal de 1988 e à Legislação Federal vigente (Lei de Diretrizes e Bases da Educação e seus regulamentos e Código de Defesa do Consumidor), por se tratar de publicidade enganosa com a finalidade de se obter lucro induzindo os cidadãos a erro, além de contribuir para a formação inadequada de profissionais.

Denúncia on line

Outros casos de instituições de ensino que oferecem cursos de graduação sem autorização do MEC podem ser denunciados ao Ministério Público Federal através do serviço Denúncia on line, disponível no site da PR/TO na internet: www.prto.mpf.gov.br .

(Com informações do MPF)