Palmas, Tocantins -
Comidas e bebidas

Arraiá da Capital registra mais de R$ 750 mil em cinco dias de festa

Ao todo, a 27ª edição do evento mobilizou 26 microempreendedores que comercializaram produtos como pastel, caldo, pipoca, crepe, sorvete, açaí e outras comidas típicas para cerca de 40 mil pessoas
- Atualizada em
Vila Gastronômica. Luciana Pires - Secom Palmas

O Arraiá da Capital mais uma vez movimentou o comércio de comidas e bebidas da Vila Gastronômica que comercializou mais de R$ 750 mil durante os cinco dias de festa. Ao todo, a 27ª edição do evento mobilizou 26 microempreendedores que comercializaram produtos como pastel, caldo, pipoca, crepe, sorvete, açaí e outras comidas típicas para cerca de 40 mil pessoas que circularam pelo evento.


 

Para o vendedor de coquetéis Rony Márcio Oliveira Alencar, 36, que há 20 anos trabalha com venda de drinks em Palmas e outras cidades do Tocantins, o Arraiá da Capital é uma das festas que mais atrai público, fazendo o dinheiro girar, seguidos doRevéillon e temporada de férias.

 

 

De acordo com ele, o poder público deve investir mais nestas festas para atrair público e fazer girar a economia. “Fiz uma compra de R$ 8 mil e hoje, outra de R$ 10 mil. O que eu investi em meu fornecedor, ele já reinvestiu em outro comércio e assim o dinheiro vai circulando na cidade, movimentando o comércio”, comentou.


 

O presidente da Associação de Vendedores Ambulantes de Eventos Sociais e Culturais do Estado do Tocantins (Ataescult), Carlos Alberto França do Nascimento, disse que as vendas cresceram em torno de 50% em relação aos períodos em que não há festas em Palmas. “O investimento da Prefeitura neste tipo de evento tem retorno garantido”.


 

De acordo com a secretária de Desenvolvimento Econômico e Emprego (Sedem), Adriana Lima, o Arraiá da Capital foi um verdadeiro sucesso de vendas para todos os microempreendedores da Vila Gastronômica. 


 

Adriana Lima enfatizou ainda que a Vila Gastronômica tem por objetivo cooperar com aqueles pequenos comerciantes, que possuem pouca estrutura comercial, mas que são devidamente regularizados, inscritos como Microempreendedor Individual (MEI) e com Alvará de Funcionamento.


 

Vale lembrar também que, de acordo com a Guarda Metropolitana de Palmas (GMP), durante os cinco dias de Arraiá, todos os setores do circuito foram monitorados pelas forças de segurança que apoiam o evento -  Polícia Civil, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Trânsito, além da própria GMP - e nenhuma ocorrência policial foi registrada.