Palmas, Tocantins -
Aprovada por unanimidade
627 visualizações

Câmara de Vereadores de Gurupi cria CPI para investigar a BRK Ambiental

- Atualizada em
Comissões reuniram antes da sessão. Câmara de Gurupi - Divulgação

Foi aprovado por unanimidade na manhã desta terça-feira, 25, na Câmara Municipal de Gururpi, o Projeto de Resolução 09/2019 de autoria da Mesa Diretora que cria a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) destinada a investigar a atuação da concessionária BRK Ambiental, que presta serviços de saneamento básico na cidade.

 

Os vereadores que compõem a CPI são: Claúdio do Trevo (PSB), César da Farmácia (DEM), Ataíde Leiteiro (PPS), sendo presidida pelo vereador Sargento Jenilson (PRTB). Eles terão 120 dias para concluir o inquérito podendo prorrogar por mais 60 dias.

 

O relatório deverá ser apresentado no Plenário e se identificado alguma ilegalidade que exija responsabilização penal ou civil, o relatório será encaminhado ao Ministério Público.

 

Para o vereador Sargento Jenilson, a Casa está dando um passo muito importante, visto que a BRK Ambiental é alvo de reclamações todo o estado. “Outras 8 cidades também manifestaram investigar a empresa, e nós aqui, os 13 vereadores tiveram a coragem e hombridade de enfrentar algo que nem a Assembleia Legislativa do Estado, conseguiu fazer, e nós estamos conseguindo atacar algo que nos ataca todos os dias em nossas casas”.

 

O vereador contou que no início da madrugada de segunda-feira, 24, teria presenciado um funcionário da BRK trocando hidrômetro de uma residência em Gurupi. “Infelizmente meu celular estava descarregando e não pude registrar, mas dá pra perceber o nível de desrespeito daquela empresa com o consumidor”, concluiu.

 

Na próxima quinta-feira, 27, ás 10 horas está prevista para acontecer à primeira reunião dos membros da CPI. O presidente da Mesa Diretora, Wendel Gomides (PDT) salientou “agora estamos no caminho certo, e no que depender da presidência, ofereceremos todo o apoio necessário para o bom andamento dessa comissão”.

 

Conforme o requerimento reapresentado na semana passada  pelo vereador Ivanilson Marinho, dentre  as reclamações mais comuns apresentadas pelos consumidores estão: cobrança desacerbada de taxa mínima de consumo; cobrança de taxa de esgoto sobre consumo faturado e não medido, sendo superior a 50% do consumo; cobrança de taxa de esgoto em locais que não possui o serviço; aumento variável e injustificado das faturas; demora no atendimento via SAC; diferenciação no valor da tarifa de água do consumidor residencial e comercial; indevida suspenção de serviços; não divulgação/cumprimento de cronograma e de reforma e ampliação da rede de esgoto e da estação de tratamento de esgoto, dentre outros.