Palmas, Tocantins -

Cidades


Fica padre Aderso
12.304 visualizações

Campanha contra a transferência de padre Aderso ganha as ruas de Palmas

Prazo dado pela igreja para religioso deixar a comunidade termina nesta sexta. Moradores se mobilizam para manter padre Aderso e protocolam abaixo assinado com mais de três mil assinaturas
- Atualizada em

Desde o início da semana uma campanha pela permanência do padre Aderso Alves dos Santos, conhecido como o padre da galera, na Paróquia Bom Jesus da Serra, ganhou as ruas da Capital, com adesivos, abaixo assinados e nas redes sociais. A campanha é liderada por moradores da comunidade de Taquarussu Grande depois que a Cúria Metropolitana de Palmas anunciou a transferência do religioso para o município de Rio Sono.

 

O empresário Sidney Madalena afirmou ao Portal T1 Notícias que a transferência do padre trouxe descontentamento para a comunidade em função do grande envolvimento dele em obras sociais. “Só quem conhece aquela comunidade sabe como era a atuação da igreja antes do padre Aderso e como é hoje”, argumentou Madelena.

 

O jornalista Rui Bucar, autor de um documentário a respeito do trabalho do padre, vê intolerância religiosa na transferência. “O padre Aderso se envolve nos problemas da comunidade e auxilia nas soluções. É um padre diferente, vai às festas, mobiliza,  conversa com todas as pessoas e é carismático. Isto provoca a reação dos demais membros da igreja”, avalia Bucar.

 

Atuação

Rui Bucar cita como exemplo o trabalho do padre para a regularização fundiária de uma gleba de terras no Taquarussu Grande. “Ele fez a doação de uma área da paróquia para construção da primeira escola de tempo integral na zona rural. A área não tinha documentação e padre Aderso, junto com a comunidade, fez uma mobilização para regularizar a situação fundiária e garantir a construção da escola. A comunidade teme que com a saída do padre muitos projetos sociais sejam prejudicados”, destacou.

 

Ainda de acordo com Rui, havia um compromisso da Igreja em não transferir o padre sem antes consultar a comunidade.

 

Prazo termina nesta sexta

De acordo com Mário Benício dos Santos- morador de Taquarussu Grande - o prazo estipulado pela Cúria para que o padre entregue as chaves da igreja termina nesta sexta-feira, 25, mas o religioso pediu para entregar as chaves apenas no dia 30.

 

Mário afirmou ao T1 Notícias que a mobilização para a permanência de padre Aderso extrapolou os limites da comunidade. “É uma campanha que envolve todos os segmentos, políticos e sociais de Palmas. Protocolamos na Cúria um abaixo assinado com mais de três mil assinaturas pela permanência do padre”, afirmou Mário.

 

Movimento

De acordo com o morador, o movimento recebeu apoio de vereadores, deputados e de outros segmentos religiosos. “Queremos a permanência do padre que está ao nosso lado em todos os momentos, quer seja confortando a família que perdeu um ente querido, nos hospitais orando pelos enfermos, na cadeia levando conforto para os presidiários e seus famíliares e também na Casa da Esperança, que acolhe pessoas viciadas em drogas”, afirmou Mário Benício.

 

Reunião com arcebispo

Ainda de acordo com o morador, lideranças da comunidade serão recebidas em uma audiência com o arcebispo de Palmas, Dom Pedro Brito Guimarães, na próxima segunda-feira,28. “Nossa esperança é que o padre permaneça na comunidade”, afirmou.

 

Sem resposta

O Portal T1 Notícias procurou a Cúria Metropolitana de Palmas para falar a respeito do assunto, mas fomos informados que ninguém poderia se manifestar no momento. Também tentamos contato com o Padre Fábio Gleiser, que responde pela comunicação da igreja, mas ele está em viagem de férias e as ligações não foram atendidas.

 

Tentamos contato com o padre Aderson, mas as chamadas para seu celular não foram atendidas. Contudo o morador Mário Benício informou que ele não quer se manifestar sobre o assunto e está organizando suas coisas para mudar de cidade.