Palmas, Tocantins -
Janeiro roxo

Campanha de prevenção à hanseníase acontece em todos os Centros de Saúde de Palmas

O tema da campanha nacional, escolhido pela Sociedade Brasileira de Hansenologia (SBH) é Todos contra a Hanseníase.
- Atualizada em
Em Palmas, o número de pacientes em tratamento é de 857 pessoas Igor Flávio

A avaliação de novos casos, busca ativa de contatos, ações educativas com palestras sobre a hanseníase, a importância do diagnóstico precoce, as formas de tratamento, além de avaliação neurológica simplificada dos contatos são ações desenvolvidas pela Secretaria Municipal de Saúde (Semus) dentro das atividades alusivas ao Janeiro Roxo.  A campanha de diagnóstico, combate e tratamento contra Hanseníase acontece em todos os Centros de Saúde da Comunidade de Palmas (CSCs) e nos distritos de Buritirana e Taquaruçu até o dia 30.  O tema da campanha nacional, escolhido pela Sociedade Brasileira de Hansenologia (SBH) é Todos contra a Hanseníase.

 

A meta é a quebra da cadeia de transmissão da hanseníase e o diagnóstico precoce, conforme explica a diretora de Atenção Primária da Semus, Maria Amélia Souza: “As incapacidades físicas, provocadas pela doença, quando o diagnóstico não é feito precocemente podem ser permanentes”.

 

Na Capital, o Projeto Palmas Livre da Hanseníase foi criado em 2016 para acelerar o processo de eliminação da doença por meio de ações de educação permanente para todos os profissionais da Atenção Primária à Saúde do município. “O objetivo do projeto Palmas Livre da Hanseníase é identificar os casos e buscar os contatos, ou seja, familiares que convivem com pessoas afetadas pela doença, que estão mais suscetíveis a contrair a hanseníase”, explica a diretora Maria Amélia Souza.  

 

Em Palmas, o número de pacientes em tratamento é de 857 pessoas, dos quais 317 já em grau 1 de incapacidade e 52 em grau 2. São 55 pacientes menores de 15 anos e dos 1.496 contatos estimados, 966 já foram examinados.

 

Hanseníase

De acordo com a Sociedade Brasileira de Hansenologia, a doença é transmitida por um bacilo através do contato próximo e prolongado entre as pessoas. O bacilo ataca os nervos e o paciente pode perder ou ter diminuição da sensibilidade à dor, ao toque, ao frio e calor, além de apresentar manchas esbranquiçadas ou avermelhadas na pele.

Notícias sobre:

campanha hanseníase palmas saúde