Palmas, Tocantins -

Cidades


Violência contra a mulher
4.386 visualizações

Casal nega agressão nas redes, após vídeo de apartamento destruído viralizar

Caso ocorreu no final de semana e viralizou nas redes. Vizinhos ouviram barulhos e chamaram a polícia. Mulher não registrou agressão e gravou video defendendo o marido após vídeo viralizar
- Atualizada em
Reprodução

Uma TV quebrada, vários objetos esparramados pelo chão e sangue em vários pontos de um apartamento em condomínio da capital, foi o cenário encontrado pela Polícia Militar ao atender um chamado na madrugada deste final de semana, em Palmas. Conforme fontes confirmaram ao T1 Notícias, o imóvel é habitado pelo professor Rawnlinson Silva, pré-candidato a vereador na capital.

 


A Polícia Militar informou ao Portal que a ocorrência ocorreu no condomínio Mirante du Park, na 306 Sul, na madrugada de sábado, 18. No local, os policiais encontraram um homem com sinais de embriaguez, ensanguentado e com um corte no pé.
 

A denúncia partiu de vizinhos que relatam barulho de briga, choro de uma mulher e quebradeira em um dos apartamentos do condomínio. Os PMs foram até a residência, chamaram pelos moradores, mas não foram atendidos e como, segundo a polícia, “não havia mais barulho”, deixaram o local.

 

Algum tempo depois o porteiro do condomínio fez um novo chamado informando que o casal havia continuado a discussão e que agora a porta do apartamento estava aberta e que havia sangue pelo chão.

 

Foi então que os policiais regressaram ao local e precisaram arrombar a porta de um dos cômodos do apartamento. A mulher, que a polícia não identificou e estava escondida na casa de um dos vizinhos, retornou à residência alegando não ter sido agredida. 

 

Os militares registraram o crime de violência patrimonial contra a mulher.

 

A Secretaria da Segurança Pública, por meio da 1ª Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher (DEAM - Palmas), informou que tomou conhecimento sobre o ocorrido e está realizando as diligências necessárias para a breve solução do caso. 

 

A DEAM disse, ainda, que casos relacionados à violência doméstica e familiar correm em segredo de justiça e, por isso, a investigação está sob sigilo. Esclarece, por fim, que, por determinação legal, não é possível dispor de informações sobre casos dessa natureza.

 

Após reação nas redes, esposa posta desmentido no Instagram 

 

A notícia do caso circulou no final de semana e foi amplamente compartilhada no Whatsapp e provocou comentários de repúdio no instagram do professor e no Twitter. Na noite de ontem, segunda-feira, 20, o professor apagou diversos comentários postados nas suas publicações, questionando comportamento violento, mas não postou qualquer resposta ou sua versão dos fatos.

 

Ainda na segunda, o perfil de sua esposa, Rhayla, trouxe a publicação de um vídeo no qual a mulher admite que todo casal tem “seus pontos positivos e negativos”, mas defende o marido das acusações de agressão e pede que as pessoas “não divulguem fake News”.

 

Com as mãos sobre o ombro da esposa, o professor pede que ela mesma dê sua versão. Na postagem, a mulher afirma que “todo casal tem seus erros, agora agressor meu marido não é. Se tem uma coisa que ele não é, é agressor. Pelo contrário, tenho bom marido. Não espalhem isso” disse.

 

Vizinhos relatam agressões verbais e físicas 

 

Em contato com o portal na noite de segunda-feira, duas fontes diferentes narraram o ocorrido e pediram o acompanhamento do caso. Uma delas, que pediu para não ser identificada, contou detalhes do ocorrido.

 

“Quando eu cheguei, perto da meia noite, era de desacreditar o barulho que o agressor fazia. Ele berrava e a esposa implorava desculpa”, narra a testemunha. Segundo esta fonte, a polícia chegou e foi embora sem nenhuma ação. “Daí quando a polícia foi embora a coisa ficou mais feia (...) Daí ela fugiu e se escondeu em uma vizinha. Nesse intervalo ligamos para a polícia e fizemos um escândalo”. (...) Aí a polícia voltou e finalmente arrombou”.

 

Segundo esta fonte, a mulher a PM teria chamado o SAMU apenas para o atendimento ao homem, e a esposa não teria sido examinada. “No outro dia a esposa fugiu para Gurupi, e foi lá que eles gravaram este vídeo fake. Passamos um fim de semana de pânico e terror. E continuamos passando...”

 

O professor teria procurado um pastor que é vizinho do seu apartamento para “pedir perdão”, pelo ocorrido. “Não dá para cobrar desta mulher sanidade e lucidez. Aqui no prédio não temos paz, é briga que ele bate e quebra tudo como pode ver no vídeo a TV quebrada”.

 

Segundo informou outra fonte, os vizinhos estão organizando um abaixo assinado para que o casal se mude, diante do ambiente de agressão criado no prédio.