Palmas, Tocantins -

Cidades


Na Capital
172 visualizações

Chegada de período chuvoso prenuncia aumento de criadouros do Aedes aegypti

O mosquito leva de sete a dez dias para se desenvolver de larva para a fase adulta, diz gerente da UVCZ
- Atualizada em
Descrição: Agentes solicitam ajuda à população para que acabem com os focos residenciais Cleia Gomes/Prefeitura de Palmas

O período chuvoso tem chegado ao Tocantins e, conforme a Prefeitura de Palmas, os locais propícios para criação e proliferação do mosquito Aedes aegypti, o vetor dos vírus da dengue, zika e chikungunya. A Unidade de Vigilância e Controle de Zoonozes de Palmas (UVCZ) emitiu um alerta à população para que ajude na eliminação dos focos.

 

A gerente da UVCZ, Betânia Costa, explica que além da chuva, as altas temperaturas favorecem a eclosão das larvas do mosquito. “Esses dois fatores, água limpa e calor aumentam a velocidade do desenvolvimento do Aedes, por isso, precisamos da colaboração da população. O mosquito leva de sete a dez dias para se desenvolver de larva para a fase adulta”, esclarece.

 

 Ciclo de vida e cuidados

 

Para eliminar o inseto e os surtos das doenças transmitidas por ele, a gerente orienta que é preciso eliminar o ciclo de vida do inseto, extinguindo os criadouros. “Inspeção semanal da casa, o cuidado com locais que acumulam água, não deixar pneus expostos, garrafas destampadas, baldes com água, denunciar terrenos baldios e mesmo os locais menos comuns, como bandejas de ar-condicionado, calhas devem ser frequentemente vistoriados”, orienta.

 

Sintomas

 

Além de serem transmitidas pela picada do mesmo mosquito, as doenças têm como sintomas em comum o mal-estar, dores pelo corpo e de cabeça, além da febre. Na dengue, a dor de cabeça costuma ser mais forte, já na chikungunya a dor nas articulações é mais intensa. O Zika costuma apresentar também um quadro de conjuntivite na metade das pessoas, vermelhidão no corpo, coceira, e aumento dos gânglios.