Palmas, Tocantins -

Cidades


Mobilidade Urbana
146 visualizações

Construção da Via Norte permitirá o acesso direito a 14 bairros de Araguaína

Do cruzamento com a Avenida Cônego João Lima até a BR-153 serão 9,3 km que contribuirão para um tráfego mais seguro.
- Atualizada em
Divulgação

A Via Norte é mais uma obra da gestão Ronaldo Dimas que mudará Araguaína para sempre. Uma referência em mobilidade urbana que fará parte da transformação do Município já na próxima década. O investimento impulsionará o desenvolvimento de um novo corredor comercial e criará uma via de acesso que cruzará diretamente 14 bairros para desafogar o trânsito no Centro.  Com extensão de 9,3 quilômetros, a nova via ligará o final da Avenida Marginal Neblina até a BR-153 no Setor Barros.

 

“Inicialmente, eu não tenho dúvida de que o trecho central vai propiciar novos investimentos quase que de imediato e, ao longo do tempo, toda avenida vai se tornar extremamente comercial. Com alguns pontos propícios para empreendimentos imobiliários, principalmente empreendimentos verticais, porque o acesso vai ser facilitado, mais rápido”, afirmou o prefeito Ronaldo Dimas.

 

O projeto, que contempla bacias de contenção, ainda resolverá um problema crônico no centro da cidade: o alagamento de casas às margens dos córregos. A obra faz parte do Projeto Saneamento Integrado Águas de Araguaína, financiado pela Comunidade Andina de Fomento (CAF).

 

Redução do fluxo na rodovia

 

De acordo com o secretário de Planejamento e Tecnologia, Frederico Prado, a possibilidade de transitar em vias rápidas por dentro do Município também é importante para diminuir os acidentes na BR-153.  “A mobilidade vai resolver problemas nos setores como Maracanã, Vila Goiás e Costa Esmeralda, que acabam chegando ao Centro pela rodovia”, explicou.

 

Além de canalizar o fluxo de veículos dos bairros mais afastados do norte do Município ao Centro, a Via Norte ligará os extremos com a interligação com as Avenidas Neblina e Via Lago, seguindo até a Avenida Dionísio Farias, no Bairro de Fátima, onde fica o Aeroporto Municipal. 

 

Etapa A até a Avenida Castelo Branco

 

Sua construção será realizada em duas etapas. A Etapa A, entre as Avenidas Cônego João Lima e Castelo Branco, passará sobre o canal do Córrego Canindé, que será fechado. Os imóveis a serem desocupados ou desapropriados já foram cadastrados.

 

O trecho de 1,5 km atenderá diretamente cinco bairros: Neblina, Jardim Goiás, São Luiz, Brasil e Cimba. No projeto atual consta as ligações com as ruas Gaúcha, Santa Cruz, Sete de Setembro, Quinze de Novembro, Vinte e Cinco de Dezembro, Souza Porto, Cuiabá, Vinte e Um de Abril, Neif Murad e Ademar Vicente Ferreira. As ligações continuam com as ruas das Mangueiras, Araguaia e Castelo Branco, com retornos para dar fluidez ao tráfego.

 

Serão duas pistas, cada uma com sete metros de largura, divididas pelo canteiro que abrigará uma ciclofaixa com largura de 2,5 metros. Nos locais onde os dois sentidos se afastam, a ciclofaixa continuará pela pista em sentido ao Centro, delimitada com tachões refletores. Haverá ainda calçadas acessíveis com largura de três metros nas duas margens da via.

 

Etapa B até a BR-153

Após a Avenida Castelo Branco, a Etapa B começa na interligação com a Rua Dois de Julho e Avenida Amazonas, no Setor Araguaína Sul, tendo aproximadamente 2,6 km. A Via Norte segue por mais 5,2 km até o Setor Barros. O projeto deste trecho está em elaboração e busca manter os mesmos parâmetros do outro percurso.

 

(Com informações da Ascom)

Notícias sobre:

araguaína vianorte