Palmas, Tocantins -
Fase de oitivas
640 visualizações

CPI do Previ Palmas: Fleury diz que não sabia dos riscos de investir no Cais de Mauá

Antes da oitiva, por orientação do advogado, Fleury se recusou a assinar o termo de compromisso em falar a verdade.
- Atualizada em
Reprodução

Maxciliane Machado Fleury, ex-presidente do PreviPalmas, foi ouvido na tarde desta terça-feira, 21, durante mais uma sessão da CPI do Previ Palmas. Fleury disse que não sabia dos riscos de investir no fundo Cais de Mauá e que também não sabia se foram feitos estudos técnicos que garantiriam a segurança do investimento. "eu não tinha como avaliar os riscos se eu desconhecia que eles existiam". 

 

Antes da oitiva, por orientação do advogado, Fleury se recusou a assinar o termo de compromisso em falar a verdade, alegando que havia feito um pedido de alteração no texto do documento, mas não fora atendido. O ato foi classificado pela relatora do processo, vereadora Laudecy Coimbra (SD), como uma tentativa de protelar a sessão.

 

Já sobre seu envolvimento com o lobista, Elton Lira ouvido semana passada, o ex-presidente do PreviPalmas afirmou que nunca esteve em contato com o lobista enquanto presidia o Instituto.

 

Entretanto a empresa de Elton foi vencedora em uma licitação do Instituto para prestar serviço ao órgão. O vereador Moisemar Marinho (PDT) disse que o nome de Fleury foi muito citado várias vezes durante a oitiva do lobista que aconteceu em um presídio no Pará.

 

Grave Erro

 

O presidente da CPI, Milton Neris (PP), relembrou que todos os ouvidos até agora disseram não saber quem autorizou os investimentos de R$ 58 milhões do PreviPalmas no Cais Mauá. Já foram ouvidos o ex-prefeito Carlos Amastha, o ex-diretor de Investimento Fábio Costa Martins, uma assessora jurídica do instituto entre outros ex-diretores.

 

Durante a sessão vereador Lúcio Campelo (PR) fez perguntas a Fleury e diante das suas negativas disse que o ex-prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PSB), "cometeu um grave erro ao indicar Fleury ao cargo".

 

A CPI ainda ouvirá como testemunhas os empresários José Antonio Ramos Bittencourt, Marcos Antonio Urcino dos Santos e o Diretor de Investimentos do Previ Palmas, Kauwe Eidi Torres Ueda.