Faet participa de reunião que reivindica mais segurança para zona rural de Porto

Como proposta para o combate à criminalidade, os produtores querem a criação de uma patrulha rural para atuar exclusivamente na região e de uma delegacia especializada

“Infelizmente várias regiões do Estado estão sofrendo com a falta de segurança na zona rural dos municípios. E, como é impossível ter policiais em todo canto, em cada propriedade, ainda que sejam montadas estruturas policiais para patrulhamento e vigilância, o caminho para esse enfrentamento é o uso da inteligência. A criação de uma linha direta entre os produtores e a polícia é fundamental para combater a atuação de criminosos nas propriedades rurais”, argumentou o diretor do Senar, Luiz Cláudio Faria, que representou o presidente da Faet, Paulo Carneiro, na reunião realizada em Porto Nacional que debateu a segurança na zona rural do município e região.

 

Representantes do Governo do Estado, Polícia Militar, Polícia Civil, Secretaria de Segurança Pública do Estado do Tocantins e Secretaria Estadual da Agricultura estiveram na reunião e se comprometeram a viabilizar as proposituras. Uma nova reunião está agendada para a próxima terça-feira, 25, na sede da SSP, em Palmas.

 

O número de ocorrências disparou nos últimos anos. Conforme a Faet, além do furto de gado, agora os criminosos estão roubando máquinas, implementos agrícolas, defensivos e insumos em geral, com prejuízos para o homem do campo na casa dos milhões de reais. Com a participação da Faet, do Sindicato Rural de Porto Nacional e outras entidades como Aprosoja, CDL, Prefeitura e outros, produtores rurais convocaram as autoridades estaduais de segurança para se posicionarem diante da situação.

 

Na reunião, ocorreram relatos dos crimes que estão ocorrendo na região e da falta de ação efetiva dos setores de segurança. "O sindicato está junto com os produtores nessa luta porque a situação está insustentável. As ocorrências nas fazendas da região não param e os prejuízos estão a ponta de inviabilizar a atividade para alguns produtores. Precisamos de medidas urgentes", destacou Rafael Giatti, presidente do Sindicato Rural de Porto Nacional.

 

Como proposta para o combate à criminalidade, os produtores querem a criação de uma patrulha rural para atuar exclusivamente na região e de uma Delegacia Especializada de Combate a Crimes Rurais, como já ocorreu em outros estados, e que seja sediada na cidade de Porto Nacional.

Comentários (0)