Palmas, Tocantins -
Obstrução de via em Palmas
2.430 visualizações

Foliões são dispersados pela polícia com bala de borracha; PM diz que foi hostilizada

A Polícia Militar esclareceu que foi ao local após receber diversas ligações no 190 denunciando som alto e obstrução de via pública na área central da cidade
- Atualizada em
Festa foi organizada por foliões nas redes sociais Divulgação

Moradores de Palmas relataram nas redes sociais na manhã desta terça-feira, 13, sobre uma ocorrência registrada na noite de ontem, 12, durante uma festa de carnaval independente realizada em frente a um bar na Quadra 104 Sul, em Palmas, onde centenas de pessoas festejavam em um bloquinho de foliões. Conforme várias testemunhas relataram que a festa foi interrompida por volta das 1h30 desta terça, por uma equipe da Polícia Militar, que teria utilizado balas de borracha para dispersar o movimento.

 

No Twitter e Facebook, moradores da Capital e pessoas que participaram do evento publicaram reclamações sobre a ação da polícia. A folia começou por volta das 18h e reuniu cerca de 800 pessoas. Conforme os foliões, na madrugada a PM chegou solicitando que as pessoas abrissem passagem na rua, informando que não poderiam obstruir via pública e que se não saíssem o evento teria que ser encerrado.

 

Bar lamenta ação da polícia

 

O Mujica Bar enviou nota nesta terça informando que lamenta e repudia a ação da polícia, ocorrida nas imediações do estabelecimento. Informou que os foliões organizaram o encontro, de forma independente, “visto que o bar não estava em seu horário de funcionamento. Durantes os dois dias que em que o bar funcionou com sua programação de carnaval não se presenciaram brigas ou ações que desrespeitassem as pessoas ali presentes”. A equipe do bar informou ainda que se coloca à disposição para esclarecimentos necessários.

 

PM esclarece

 

Em nota enviada ao T1 Notícias, a Polícia Militar esclareceu que recebeu diversas ligações no 190 denunciando som alto e obstrução de via pública na área central da cidade. No local, a polícia informou que encontrou a via pública totalmente interrompida, sem autorização legal dos organizadores.

 

“Após intervenção verbal a PM não foi atendida, bem como hostilizada com agressões físicas e depredações do patrimônio público. A PM solicitou reforço no intuito de conter a injusta agressão e desobstruir a via, garantindo o direito constitucional de ir e vir das demais pessoas, bem como fazer cessar a injusta agressão sofrida”, informou a PM.

 

Conforme a polícia, “foram utilizados os meios moderados da força, conforme previsões expressas no POP - Procedimento Operacional Padrão da PMTO e Portaria Interministerial 4226-2010, que estabelece as diretrizes sobre o uso da força pelos agentes de segurança pública”, declarou a PM.

 

A polícia ainda informou que, após a ação a via foi desobstruída e “os envolvidos foram orientados a não reincidir na prática delituosa. A Polícia Militar orienta a população que quaisquer ações que venham a interromper a via pública devem seguir o trâmite legal, com autorização dos órgãos locais, bem como aviso prévio à autoridade. Não houve registro de pedido para o caso acima citado”, finaliza a PM.