Palmas, Tocantins -
Crime cibernético
680 visualizações

Investigações sobre ameaças de morte sofridas por adolescentes na rede são concluídas

As vítimas eram abordadas por meio de redes sociais e constrangidas a produzir áudios se desculpando por condutas não praticadas, sob a ameaça de morte.
- Atualizada em
Divulgação

As investigações sobre ameaças sofridas por estudantes de Palmas, através de um perfil falso em redes sociais, foram concluídas nesta segunda-feira, 11, pela Polícia Civil do Tocantins, por intermédio da Delegacia de Repressão a Crimes Cibernéticos (DRCC).

 

De acordo com o trabalho investigativo, iniciados no final de 2017, as vítimas eram abordadas por meio de redes sociais e constrangidas a produzir áudios se desculpando por condutas não praticadas, sob a ameaça de morte.

 

A equipe da DRCC teve acesso ao teor das conversas trocadas entre os autores e as vítimas, todas na faixa de 14 anos de idade. Conforme a delegada Milena Lima, titular da DRCC e responsável pelo caso, diversas pessoas foram ouvidas, inclusive as que emprestaram suas senhas de wi fi, sem saber que a conexão de internet seria utilizada para as realizações das ameaças.

 

Trechos como: “Amanhã tu vai me conhecer com oitão na cara [...]. Tô ligado onde tu estuda e mora. Vou estourar essa sua cabeça na bala [...]”, e outros em que os autores persistem em falas ameaçadoras no intuito de fazer com que a vítima faça um áudio se desculpando: “Vai lá mlkin, teu último dia hoje. Mas vc tem uma chance de se redimir com família comando ainda. Vc quer vais uma chance de viver? Vc manda um áudio pedindo desculpa pra nós aqui da facção daí nós te libera. Ta de boa assim parcero?”, geraram uma sensação de pânico e humilhação no meio estudantil e familiar.

 

O caso foi esclarecido com a constatação, por parte dos policiais civis, de que as condutas eram praticadas por outros adolescentes com o objetivo de se divertirem. Os investigados responderão pelos atos infracionais praticados perante o Juizado Especial da Infância e do Adolescente, conforme determina a legislação vigente.

 

A delegada alerta, ainda, para os riscos do compartilhamento da senha de wi fi com terceiros e de aceitar convites de amizade de pessoas desconhecidas.

 

(Com informações da Ascom - Governo do Tocantins)