Palmas, Tocantins -

Cidades


Em Itapiratins
3.412 visualizações

Médico é acusado de orientar procedimento cirúrgico por telefone: município nega

A secretaria do município que acompanhou o caso negou que isso tenha acontecido e disse que o médico pediu apenas para preparar a paciente enquanto chegava à USF. Denúncia foi feita no MPE...
- Atualizada em

O ex-vice-prefeito e morador de Itapiratins, Amilton Pereira Lopes, entrou com representação contra o médico da Unidade de Saúde do muncípio e a Secretaria de Saúde, junto ao Ministério Público Estadual (MPE) de Itacajá nesta quarta-feira, 23, para denunciar que o médico teria orientado uma técnica de enfermagem por telefone a fazer uma cirurgia. Ele procurou o T1 Notícias para relatar o fato.

Lopes afirma que o médico da cidade, identificado por ele como Dr. Celso, tentou orientar por telefone uma técnica de enfermagem da Unidade de Saúde da Família (USF) do município de como fazer um procedimento cirúrgico.

“No domingo (13 de outubro) procurei a USF com minha mãe de 70 anos que estava passando mal e que, inclusive, precisaria fazer uma pequena cirurgia. O médico da cidade orientou a técnica, que estava de plantão, de como fazer o procedimento. Ele orientou ela por telefone, mas eu não aceitei. Quando o médico chegou lá na USF ele viu a situação da minha mãe e ele mesmo viu que nem ele tinha condições de fazer a cirurgia”, disse Lopes.

O ex-vice-prefeito apresentou à reportagem do T1 Notícias documentos que mostram que sua mãe realizou uma consulta clínica e uma pequena cirurgia para retirada de abscesso, na cidade de Colinas na segunda-feira, 14. “Procurei o Renato Azevedo que é secretário municipal da Saúde e ele me insultou, disse que como minha mãe não ia morrer não era motivo de urgência o procedimento, então houve um desentendimento e nós brigamos. Tive que ir até a cidade de Colinas, para que minha mãe fizesse a cirurgia. Isso só reforçou que era necessário um médico para fazer o procedimento”, completou.

 

Município nega acusação

O secretário municipal de saúde, Renato Azevedo, negou a acusação do ex-vice-prefeito e disse que na verdade “o médico apenas orientou a técnica de enfermagem a preparar a paciente enquanto ele chegava”.

De acordo com o secretário, o médico do município atende em regime de plantão sobre aviso, urgência e emergência, e só comparece na unidade quando solicitado. “O filho da paciente estava visivelmente alterado. Foi ele que me desacatou. O médico chegou à unidade e atendeu a paciente, examinou, medicou e como não era urgência, pediu para que ela retornasse na segunda-feira”, explicou.