Palmas, Tocantins -

Cidades


Manifesto a Palmas
1.457 visualizações

Movimento pela Vida propõe manifesto contra intolerância religiosa

Manifesto do Movimento pela Vida propõe convivência harmoniosa e combate à intolerância...
- Atualizada em

Em manifesto, o Movimento pela Vida propôs nesta terça-feira, 20, dia em que Palmas completa seus 25 anos, o combate à intolerância religiosa e uma convivência mais harmoniosa entre os palmenses. Além disso, o manifesto também ressalta a importância de se combater a degradação ambiental.

Confira o manifesto:

Manifesto à Palmas
20 de maio de 2014

Nós, cidadãos palmenses de diferentes crenças; tradições, seguimentos religiosos e, daqueles que não professam nenhuma religião;que com suas palavras e atos pretendem construir  uma cidade, um estado , um país , um mundo melhor;   vivendo  em  Palmas. Portanto  afirmamos:

  • Nenhuma religião, nenhuma filosofia, nenhuma ciência detém o monopólio da Verdade. Assim, podemos nos aproximar dessa construção colocando em comum o que essas instituições têm de mais nobre a oferecer aos seres humanos, o que redunda em buscar a unidade através da diversidade.
  • A paz  e o respeito são fundamentais para nossas respectivas religiões, e nas nossas diversas crenças nos obriga a trabalharmos juntos para construí-la.Estamos profundamente preocupados por essa crescente hostilidade  na sociedade , dentro e entre as comunidade religiosas. Essa hostilidade é a intolerância que muitas vezes toma forma de violência e, sua vítima é, às vezes  a população vulnerável, incluindo as minorias étnicas e religiosas. As Hostilidades surgem em todos os setores- governos, indivíduos, organizações e grupos sociais. Freqüentemente algumas religiões são colocadas como inferiores em relação às outras. A Hostilidade social contra indivíduos e grupos, avivada pela intolerância, ameaça a dignidade humana e o bem comum. A intolerância e a violência em todas as suas manifestações são ameaças à paz.
  • Todos os Homens e mulheres são dotados de dignidade humana, compartilham uma humanidade comum, devem cuidar uns dos outros, estão chamados a enfrentar os problemas dos outros como  se fossem seus próprios.
  • Aceitamos o chamado de estar ao lado e levantar os mais vulneráveis e promover uma sociedade justa e harmoniosa.
  • Os meninos e meninas são de  uma suprema preocupação. Em  especial estado de infância , merece  nossa proteção e cuidado; e devem merecer prioridade dos governos e da sociedade.
  • A  superação dos conflitos  violentos  através do diálogo e da reconciliação, são fundamentais para o estabelecimento da paz.
  • É urgente o resgate daqueles que traíram os ensinamentos de paz de suas crenças. Isto sugere que os ensinamentos de paz existem em todas as religiões e são compartilhados como o valor comum.
  • O Fomento ao desenvolvimento humano e proteção a terra e a natureza, são parte da luta pela paz.
  • Os elementos positivos  da paz que compartilhamos, estão vinculados ao  nosso chamado  à confrontar as ameaças da paz que incluímos:
  • O mau uso da religião para apoiar todas as formas de violência.
  • O desrespeito  e perseguição pela homofobia
  • Uma crise espiritual  que correm os valores que sustentam a vida.
  • Extrema e crescente desigualdade incluindo violações generalizadas dos direitos básicos tais como direito a habitação digna, saúde, trabalho, educação,etc
  • Violência  contra as mulheres e as crianças e o enfraquecimento do apoio às famílias.
  • Pobreza, doenças evitáveis não tratadas.

Degradação ambiental, esgotamento dos recursos naturais e as mudanças climáticas que ameaçam o florescimento humano.

Palmas têm na sua formação histórica, gente vinda de tantos rincões. Nesses 25 anos  transcorridos, hoje somos pessoas de várias, crenças, e também  de  crença nenhuma,de várias etnias,cor,  raças , orientação  sexual e  pessoas com deficiências . Portanto somos a diversidade vivenciada no cotidiano de nossa  cidade.  Então conclamamos  que:

  • Palmas seja a capital do respeito a diversidade religiosa.
  • Nós, sociedade Palmense devemos honrar e proteger a dignidade humana quando e onde estiver ameaçada.
  • Promover  a colaboração mais ativa entre homens e mulheres para exaltar  a dignidade  de mulheres e meninas, e o trabalho conjunto para evitar a violência contra elas.
  • Pronunciar-se em nome dos indivíduos e grupos vulneráveis e todas as pessoas perseguidas ou cuja existência é  ameaçada devido a sua fé.
  • Fomentar os valores espirituais essenciais ao bem estar compartilhado.
  • Reforçar a aceitação da diversidade em nossas comunidades
  • Acolher o outro através da oração e ou do serviço.
  • Acolher o outro significa que:

- Chama as pessoas a trabalhar para promover o florescimento pleno da dignidade humana através do desenvolvimento integral do ser humano.

 - É um convite à todas as pessoas em co- construção , co- carinho e co- previdente administração do bem-estar comum , que inclui respeitar a natureza e desenvolvimento em harmonia com ela .

 -É ver a si mesmo no outro.

 - è rejeitar a cumplicidade na destruição da Terra, o que agrava os desastres e sofrimento humano.

 

Assina o manifesto o Movimento pela Vida, completando esse ano, 15 anos de evento.

Tania Cavalcante – coordenadora Geral do MPV