Palmas, Tocantins -

Cidades


Contra Decretos
2.885 visualizações

Na contramão de decretos e da OMS, empresários vão às ruas em carreata; PM intervém

O ato foi comandado pelo proprietário de um portal de notícias de Palmas, Gleydson Ricardo, e um ex-candidato a vereador, conhecido como Cirley do Carro de Som
- Atualizada em
Reprodução

Uma carreata, que teve início na Avenida JK e seguia para Taquaralto na manhã desta sexta-feira, 27, contra decreto da Prefeitura de Palmas, que estabeleceu o fechamento do comércio da Capital, foi paralisada pela Polícia Militar. Em cima de um carro de som, o ato foi comandado pelo proprietário de um portal de notícias de Palmas, Gleydson Ricardo, e um ex-candidato a vereador, conhecido como Cirley do Carro de Som. Em nota ao T1, a Prefeitura de Palmas disse que a prefeita Cinhia Ribeiro se reuniu ontem, 26, com representantes de diversas instituições empresariais e aguarda um documento com as propostas de um plano de retorno as atividades do comércio em geral, indústrias e todos os segmentos impactados.

 

No trajeto para Taquaralto, a Polícia Militar parou a carreata na altura do Fórum de Palmas, na Avenida Teotônio Segurado. Esteve à frente da ocorrência o comandante do 1° Batalhão de Polícia Militar (BPM), tenente coronel De Souza, que avisou que, por conta da aglomeração, o ato descompria o decreto do governo estadual que estabeleceu estado de calamidade pública frente à pandemia do novo coronavírus. Um carro de som foi apreendido. O motorista estava com a CNH vencida, além dos documentos do veículo atrasados. Cirley culpou o Detran por ter reduzido o horário de expediente e a falta de dinheiro após o comércio fechar.

 

Após essa ocorrência, Gleydson Ricardo e Cirley do Carro não continuaram no ato, que seguiu com os demais carros. O comandante da PM disse que a corporação só iria se manifestar através de sua assessoria de comunicação.

 

Segundo a PM, Cirley responderá também pelo art. 310 do CTB (Código de trânsito Brasileiro por entregar a direção do veículo à pessoa sem habilitação. “Foram conduzidos os proprietários dos veículos automotores (carros de som) e duas pessoas que convocavam para a aglomerações em desacordo com os atos governamentais do Estado e da Prefeitura de Palmas", disse a PM.

 

 

O ato


 

A carreata começou na Avenida JK com alguns carros. Após rodar a avenida por minutos, foi anunciado que o ato iria para Taquaralto. De início, Gleydson Ricardo buscou manter o movimento na região, já que, segundo ele, a prefeita Cinthia Ribeiro (PSDB) estava em seu gabinete da JK. 

 

Contudo, acabou cedendo para o pedidos dos demais e seguiu sentido Taquaralto pela Avenida Teotônio Segurado. A carreata foi parada pela PM no meio do trajeto e perdeu parte dos seus integrantes.  O ato foi transmitido pelo Gleydson em uma conta do Facebook e contou com público de 4 mil pessoas ao vivo. 


 

Gleydson Ricardo disse que o movimento foi orquestrado após declaração do presidente Jair Bolsonaro, que em pronunciamento na última terça-feira, 24, disse para os comerciantes voltarem a trabalhar.  Gleydson chamou a mídia de “vírus” por alertar a população sobre as medidas adotadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) no que tange o isolamento social. 

 

Já Cirley afirmou que a partir de segunda-feira, 20, “vamos abrir sim o comércio com ou sem decretos”. Ele citou os casos de  Araguaína e Paraíso, que já flexibilizaram seus decretos anteriores para que parte do comércio volte a funcionar na segunda. 



Fake News


 

Gleydson Ricardo e Ciirley do Carro de Som, além de participarem do ato público sem qualquer proteção contra o covid-19, eles comentaram no microfone uma quantidade enorme de fake news, como apurou o T1. Primeiro, afirmaram que estavam sem máscaras e próximos um do outro porque Deus estava os protegendo e por ter esgotado o objeto no mercado. Porém,  disse que quando o comércio retornar, os vendedores estarão usando materiais de proteção, como a máscara. 


 

Afirmaram que o Estado não está realizando testes para detecção do novo coronavírus e que não há leitos no HGP para enfrentar a pandemia. Todavia, como já constatou o T1, diariamente a Saúde Estadual emite Boletim Epidemiológico após a realização de testes pelo Laboratório Central (Lacen) em pacientes suspeitos de terem contraído o covid-19. E o  HGP hoje possui uma zona específica para tratar pacientes com suspeita do vírus.


 

Falaram ainda sobre o presidente Donald Trump ter pedido para os trabalhadores não pararem e irem para as ruas.  Entretanto, o presidente do EUA, em carta publicada ontem, 26, pede para estadunidenses ficarem em casa. EUA ultrapassaram a marca de 81.000 casos de covid-19 confirmados e mais de 1.100 pessoas já morreram. 


 

Eles afirmaram, sem comprovar, que o comércio parado vai matar mais que o vírus. “Senhora prefeita respeitamos a senhora, mas espero que entenda a situação dos pais de família”.


 

Disseram, ainda, que, assim como em uma guerra, os jovens precisam ser atuantes neste momento e o Estado deixar os idosos em casa. Em nenhum momento mencionaram a forma de transmissão do vírus. 

 

Prefeitura de Palmas

 

Sobre o ato, a Prefeitura de Palmas afirmou que, após uma reunião conduzida pela prefeita Cinthia Ribeiro com representantes de diversas instituições empresariais nesta quinta-feira, 26, aguarda documento com as propostas de um plano de retorno as atividades do comércio em geral, indústrias e todos os segmentos impactados.

 

O documento será entregue nesta sexta-feira, 27, ao Município e o Centro de Operações de Emergência em Saúde (COE) e Comitê de Crise para avaliação e elaboração das próximas medidas/ações.

 

Em relação à manifestação de carreata, a gestão disse que "não houve aglomeração de pessoas e que as forças de segurança atuaram para manter a ordem e o ordenamento do trânsito".