Palmas, Tocantins -
Jogos da Copa

Pesquisa diz que palmenses investem em decoração e TVs para assistir à Copa em casa

A questão em que Palmas mais se destacou foi em relação ao valor que deve ser gasto durante a Copa. Para esta pergunta, 73,6% dos palmenses disseram ter intenção de investir acima de R$ 300,00
- Atualizada em
Palmenses compram itens para decorar residências e veículos Divulgação

Pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), que mede a intenção de consumo para a Copa do Mundo, aponta que em Palmas, os jogos do mundial de futebol 2018 serão acompanhados pelos torcedores preferencialmente em casa. Entre os entrevistados palmenses que vão consumir produtos e serviços especificamente para o Mundial na Rússia, 12,2% pretendem adquirir televisores. Este é o segundo maior resultado em comparação às outras capitais, ficando atrás somente de Manaus, com 12,6%. A média nacional para esta questão da pesquisa é de 4,3%.

 

Ainda sobre a aquisição de produtos, 77,2% disseram que vão às compras em lojas físicas, contra 22,8% que preferem a internet. Em relação à forma de pagamento, 43,3% devem pagar à vista e 56,7%, parcelado.

 

Outro dado relevante mostra que aproximadamente 70% dos entrevistados em Palmas afirmaram que gastarão mais com alimentação e bebidas em domicílio durante os jogos. “Esses dados mostram que os torcedores de Palmas preferem acompanhar as transmissões dos jogos em casa, porém, a porcentagem dos que devem ir à bares e restaurantes para assistir também é significativa, sendo mais de 16%, muito próximo da média do Brasil, que registrou 18,8%”, explica Fabiane Cappellesso, assessora econômica da Fecomércio Tocantins.

 

A questão em que Palmas mais se destacou foi em relação ao valor que deve ser gasto durante a Copa. Para esta pergunta, 73,6% dos palmenses disseram ter intenção de investir acima de R$ 300,00, ficando bem acima da média nacional (39,2%) e em primeiro lugar nesta categoria. Estes números se referem aos cerca de 20% dos entrevistados que afirmaram ter intenção de consumir na Copa do Mundo, já que 81,1% dos respondentes disseram que não farão investimentos durante o período.

 

No cenário nacional, houve uma queda na pretensão de compras nesta Copa em relação à de 2014. “Em 2018, 24% das famílias brasileiras relataram que tem intenção de consumir pelo menos um produto neste Mundial. Há quatro anos, essa intenção atingia mais da metade da população pesquisada”, comenta o chefe da Divisão Econômica da CNC, Fabio Bentes. Segundo Bentes, as condições de consumo deste ano ainda se encontram menos favoráveis do que em 2014 e a recuperação da economia e do consumo segue lenta e sujeita a oscilações. Além disso, a questão geográfica também influenciou o resultado da pesquisa, já que a última Copa do Mundo foi realizada no Brasil.

 

A pesquisa deste ano foi feita no final de maio, com o objetivo de capturar qualitativamente as intenções de gastos com bens e serviços dos consumidores brasileiros decorrentes da proximidade da Copa do Mundo da Fifa 2018. Foram aplicados 18 mil questionários de entrevistas presenciais nas vinte e seis capitais e/ou regiões metropolitanas do país, além do Distrito Federal. A apuração dos resultados consiste na obtenção da distribuição percentual das respostas dos entrevistados, segundo predominância de gastos.