Palmas, Tocantins -

Cidades


Cianobactérias
3.432 visualizações

Polícia recomenda aos moradores de Palmas a evitarem banho e consumo da água do lago

Trecho investigado pela Demag encontra-se entre o Setor Bertaville e o Condomínio Mirante do Lago, ambos na região Sul da Capital
- Atualizada em
Descrição: Mancha verde entre o Bertaville e o Mirante do Lago SSP TO

Em cumprimento a ordem de missão para investigar denúncias de poluição no Lago de Palmas e seus afluentes - Taguaruçu Grande e Córrego Machado -, a Polícia Civil do Tocantins, por meio da equipe de investigação da Delegacia Especializada de Repressão a Crimes contra o Meio Ambiente e Conflitos agrários – Demag e acompanhada de um perito criminal, constatou a existência de grande quantidade de algas (cianobactérias) dispersa na água no trecho compreendido entre o Setor Bertaville e Condomínio Mirante do Lago.  

 

Segundo o titular da Demag, delegado Marcelo Santos Falcão Queiroz, de posse do laudo da perícia estadual e do laudo pericial da Universidade Federal do Tocantins (UFT), foi instaurado um inquérito policial e a Demag iniciará as oitivas com os representantes da concessionária  do serviço de saneamento e órgãos ambientais.

 

Conforme o titular da Demag, a principal causa da poluição do local estão relacionadas ao despejo de esgoto diretamente na água, vazamento de poluentes, águas pluviais, fertilizantes, dejetos de animais domésticos selvagens e atividades agrícolas, dentre outros.

 

 

 

O Delegado alerta que a exposição a essas algas pode causar irritação na pele e olhos e seu consumo pode causar distúrbios gastrointestinais e intoxicação. Daí porque, Marcelo Falcão recomenda que, pelo menos no trecho investigado (Bertaville e Mirante do Lago), a população deve evitar o banho e consumo da água.

 

Em nota, a BRK Ambiental esclareceu que não há relação entre as algas encontradas no Ribeirão Taquarussu e o esgoto tratado pela concessionária. A empresa  suspeita que a presença de algas pode ser observada inclusive em pontos anteriores ao lançamento do esgoto tratado, o que evidencia que o  fenômeno da floração de algas não é causado ou intensificado por este lançamento.

 

"A presença de algas ocorre pelo acúmulo de nutrientes provenientes de fontes diversas como poluição urbana, fertilizantes e matéria orgânica em decomposição cabendo aos órgãos de fiscalização identificar as contribuições irregulares", aponta a BRK.

 

A concessionária disse ainda que está à disposição para prestar os esclarecimentos necessários para a autoridade policial.

 

Investigação

 

A Polícia Civil do Tocantins, por meio da Delegacia Especializada de Repressão a Crimes contra o Meio Ambiente e Conflitos Agrários –Demag – Palmas, informou, na manhã desta terça-feira, 11, que, para aprofundar a investigação das denúncias de poluição no Lago de Palmas e seus afluentes Taguaruçu Grande e Córrego Machado, estão sendo realizadas novas análises das amostras coletadas.



Informa que tem até 30 dias para concluir o inquérito policial e que, tão logo isso ocorra, será marcada uma entrevista coletiva para esclarecer a investigação policial aos profissionais da imprensa.