Palmas, Tocantins -

Cidades


Assassinato de policial
1.694 visualizações

Policial é assassinado em Porto Nacional com tiro na cabeça; PM emite nota de pesar

O policial trabalhava no 5º Batalhão, em Porto Nacional, e entrou na Corporação em 2007. Rubim deixa esposa grávida e uma filha
- Atualizada em
Descrição: Cabo Rubens Lopes foi atingido em Porto Nacional Divulgação

Um policial militar morreu após ser atingido com tiro na cabeça em Porto Nacional, na noite desta sexta-feira, 22, quando estaria na rua de sua casa, no setor Novo Horizonte. Conforme as informações da PM, o cabo Rubim Lopes Monteiro, de 33 anos, estava de folga quando foi abordado por indivíduos que “o mataram de forma fria e brutal”.

 

O militar trafegava em uma motocicleta e ao passar em frente a um grupo que estava na calçada, um dos suspeitos realizou um disparo que acertou a vítima pelas costas. O PM caiu da moto e atirou contra um dos autores, atingindo um deles na perna. Após ser alvejado, o militar ainda foi agredido pelos autores. Rubim chegou a ser socorrido e encaminhado com vida ao Hospital Regional de Porto Nacional, mas morreu três horas depois. A polícia está em busca dos autores do homicídio. Ainda segundo a PM, a motivação o crime e as circunstâncias do ocorrido estão sendo apuradas. O caso é investigado pela Polícia Civil de Porto Nacional.

 

O policial trabalhava no 5º Batalhão, em Porto Nacional, e entrou na Corporação em 2007. Rubim deixa esposa grávida e uma filha.

 

Em nota enviada à imprensa neste sábado, 23, o coronel Edvan de Jesus Silva, comandante Geral da PMTO, informou que a Polícia Militar do Tocantins está enlutada pelo falecimento do cabo.

 

“Perder um irmão de farda é uma dor dilacerante. Corta a alma profundamente, pois antes de sermos companheiros de serviço, somos uma grande família movida pelo sentimento de cumprirmos nossa missão de forma integral: proteger o cidadão, livrando-o das mazelas sociais que acarretam na violência, mas que também nos atinge como profissionais e parte da sociedade, infelizmente...”, afirma o comandante. 

 

Ainda segundo o coronel Edvan, “CB Rubim tinha condutas familiar e profissional admiráveis perante seus amigos e familiares, sempre demonstrando total devoção à nobre missão que lhe foi designada quando ao ingressar na corporação juramentou proteger a sociedade mesmo com o sacrifício da própria vida. Atuante, prendeu muitos marginais, recuperou objetos roubados, apreendeu armas, tudo para que ao final de uma jornada de serviço pudesse deitar consciente de que tinha feito tudo o possível como policial militar honrado que era. Que possamos, juntamente com família e amigos, encararmos esse momento difícil apoiados na fé em Deus para que nos conforte diante dessa perda irreparável”, finaliza o comandante.

 

Recompensa

 

A Associação dos Cabos e Soldados, com apoio dos militares, propuseram uma recompensa de R$ 5 mil para quem tiver informações que levem à captura dos autores do assassinato do cabo Rubim. O telefone de contato divulgado para informações é o (63) 3363-5539 ou 190 para denúncia.