Palmas, Tocantins -

Cidades


Em Palmas
3.487 visualizações

Pouca estrutura afasta turistas das praias: barraqueiros estão insatisfeitos

O Portal T1 visitou as Praias das Arnos, do Prata e do Caju, nesta sexta-feira, 18, e constatou a insatisfação dos comerciantes com o baixo fluxo de banhistas. Estrutura não agrada.
- Atualizada em

O Portal T1 Notícias visitou na tarde desta sexta-feira, 18, as três praias que estão oficialmente dentro da programação de Temporada de Praias, promovida pela Prefeitura de Palmas, que em 2014 teve início no dia 05 de julho e vai se estender até o dia 27.

 

 

As praias do Prata, das Arnos e do Caju receberam investimentos em estrutura, shows, equipes de limpeza, distribuição de kits de prevenção e orientação contra doenças sexualmente transmissíveis e material de divulgação para atrair os turistas.

 

Durante a visita do T1 nas praias, barraqueiros explicaram que a temporada de 2014 não está agrando muito ao público. Segundo eles é por causa da estrutura que ainda é precária, falta de segurança e salva-vidas e o descaso com as vias de acesso, como é o caso do Prata e do Caju que, além do mato alto, tem muita poeira.

 

Praia das Arnos

Os barraqueiros explicaram ao Portal T1 que apesar do fluxo de turistas ter diminuído nesta temporada, a praia está mais limpa, com policiamento ostensivo, contando com a presença da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e Guarda Metropolitana durante todos os finais de semana. Além de mais segurança, outro ponto positivo são os shows, cuja estrutura de palco foi montada em espaço reservado, o que não está permitindo tumultos nas áreas das barracas.

Estrutura

Apesar da placa fixada pela Prefeitura na entrada da Praia das Arnos, anunciando o investimento superior a R$ 3 milhões para revitalização de toda a praia, barraqueiros falaram ao T1 que não houve reposição da areia e as barracas continuam as mesmas feitas pelos comerciantes de forma improvisada, com palhas. Porém, foram revitalizados os banheiros já existentes e instalados banheiros químicos, próximo ao estacionamento. Quanto à limpeza, a coleta está sendo feita diariamente, em intervalos de duas horas.

 

Gastronomia

Quem visita a Praia das Arnos tem a opção de experimentar uma culinária rica em comidas típicas do Tocantins e do Nordeste. O maior destaque dessa temporada é a mandioca empanada, com porções que variam de R$ 15,00 a R$ 30,00. A Praia das Arnos é conhecida por ter pratos mais baratos, em relação às outras praias, e vários comerciantes.

 

Praia do Prata

Os barraqueiros comentaram que a Praia do Prata é sustentada basicamente pelos comerciantes. A estrutura das barracas, roçagem do mato e a construção dos quiosques foram feitas em conjunto, aonde cada dono de barraca delimitou uma área e construiu segundo sua preferência. Para a Prefeitura ficou a responsabilidade de cuidar dos banheiros, limpeza da areia, coleta do lixo e proporcionar melhor acesso aos banhistas, já que a avenida que liga o centro de Palmas à praia está parcialmente sem asfalto.

 

Estrutura

Para chegar na praia os banhistas passam por um trecho de aproximadamente 1 km de estrada sem asfalto, com muita poeira, margeado por mato alto, o que dificulta a visibilidade. Também foi constatado pelo T1 que a Prefeitura ainda não concluiu a construção dos banheiros masculino e feminino, com isso os frequentadores ainda contam com as estruturas antigas, que estão sendo limpas apenas nos finais de semana.

 

Gastronomia

Um dos pontos mais fortes da Praia do Prata é a culinária especializada no peixe tucunaré. As porções variam de R$ 50 a R$ 100, e as opções variam de acordo com o gosto de cada freguês, que pode optar pelo peixe frito ou pela moqueca, que custa em média R$ 55.

 

Praia do Caju

Banhistas e barraqueiros da Praia do Caju disseram ao Portal T1 que estão insatisfeitos com a atenção dada pela Prefeitura nesta temporada. Foram instalados apenas banheiros químicos, que até hoje receberam somente uma limpeza desde o início da temporada, no dia 5 de julho. Não foi implantado sistema de segurança, a Polícia Militar, Guarda Metropolitana e Corpo de Bombeiros fazem ronda somente nos finais de semana e, por falta de reposição da areia, durante o período da manhã, toda a área das barracas fica tomada por poeira, devido aos ventos fortes.

 

Estrutura

Além dos 8 banheiros químicos instalados pela Prefeitura, cada comerciante construiu dois banheiros, nos fundos de suas barracas. Por falta de sistema hidráulico, os barraqueiros levam água potável do centro da cidade, em galões, pequenos recipientes ou garrafas pet, para lavar os utensílios e preparar as refeições. A área destinada ao estacionamento não é demarcada, o que gera aglomeração de veículos nos dias mais movimentados. E para chegar na praia a única via de acesso está ladeada por mato alto e com terra solta, que provoca muita poeira.

 

Gastronomia

Os barraqueiros apostam na culinária rica em peixe, camarão e galinha caipira como forma de atrair o público. As porções variam entre R$ 25 a R$ 40, em pratos que servem em média 3 pessoas.