Palmas, Tocantins -
Espetáculo de Dança

Quasar Cia. de Dança faz apresentação única em Palmas neste sábado

A atração 'O que ainda guardo...' faz parte da comemorações do 30 anos do grupo
- Atualizada em
Espetáculo de dança será no Teatro Sesc Palmas Divulgação

Uma das maiores companhias de dança do Brasil, a Quasar Cia. de Dança, de Goiás, que após um hiato de dois anos em suas atividades, traz a Palmas o espetáculo 'O que ainda guardo...' com apresentação única neste sábado, 13, no Teatro Sesc Palmas, às 20h. 

 

A coreografia apresentada foi desenvolvida para o projeto “Preciosidades Vivara” com o apoio do Ministério da Cultura e da Vivara. A circulação é realizada pelo Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna 2015 e conta também com o apoio do SESC e da World Group Company (GO).

 

O projeto “Quasar Cia. de Dança – Circulação Norte, Centro-Oeste e Sul” promoverá 10 apresentações em cinco cidades do país proporcionando o intercâmbio cultural entre diversas regiões. A primeira cidade a receber o projeto é Palmas/TO e na sequência o espetáculo será apresentado nas cidades de Goiânia/GO, Gravataí/RS, Canoas/RS e Brasília/DF.

 

Sobre o espetáculo

 

Os 30 anos da Quasar coincidem com os 60 anos da Bossa Nova, temática proposta pela Vivara para esse novo espetáculo em parceria com a Companhia goiana, especialmente convidada para o projeto. Legitimamente brasileiro, criado para atingir diferentemente os sentidos da plateia. O diálogo entre a energia e fugacidade da dança da Quasar, que dirige os olhares e provoca interpretações, e a tessitura da Bossa Nova, estilo musical impregnado da alma de nosso país.

 

Ao completar 60 anos, estas canções, nascidas de encontros entre compositores da Zona Sul do Rio de Janeiro, tornaram-se admiráveis em todas as partes do mundo, e só isso já bastaria para serem desafiadoras a qualquer coreógrafo. Unindo-se a isto a memória emotiva que cada uma das letras e notas deste cancioneiro provoca, é tarefa vigorosa produzir movimentos que desabrochem em novos significados e sentidos.

 

A busca foi por produzir uma obra sensível, bela, fascinante, plena em sua forma e em sua importância. Um instante de frescor, de contemplação de novas possibilidades e novos encontros. Os temas abordados pelos compositores, muitos deles singelos e ligados a um cotidiano ingênuo e pueril, nesta trilha sonora são cantados como se fossem conversas entre amigos, e esta maneira coloquial de fazer poesia inspirou um tipo de movimentação que permeia toda a coreografia.

 

O espetáculo também é uma homenagem aos 30 anos da Quasar, resgatando imagens que retomam a essência da Companhia. Instantes de espetáculos que se tornaram preciosos e únicos em sua trajetória, e que cintilam nesta nova criação, provocando uma espécie de reminiscência em nossos espectadores.