Palmas, Tocantins -

Cidades


Coronavírus
227 visualizações

UPAs de Palmas contam com alas específicas para atender pacientes moderados e graves

Implantadas no dia 20 de maio, as alas para tratamento de coronavírus (Covid-19) nas Unidades de Pronto Atendimento de Palmas (UPAs), na região Norte e Sul, já atenderam pelo menos 52 pacientes.
- Atualizada em
Raíza Milhomem/Secom Palmas

Implantadas no último dia 20 de maio, as alas para tratamento de coronavírus (Covid-19) nas Unidades de Pronto Atendimento de Palmas (UPAs), na região Norte e Sul, já atenderam pelo menos 52 pacientes, uma média quatro pacientes moderados ou graves por dia. Nesta terça-feira, 2, há dois pacientes na ala Covid-19 da UPA Norte e um na UPA Sul.

 

São atendidos no setor pacientes com síndromes gripais (SG) e que apresentam sintomas moderados ou graves da doença. Entre os sintomas moderados estão tosse, coriza, dor de garganta, dores no corpo em geral, dor de cabeça, febre moderada, pressão baixa e desconforto respiratório. Nos casos graves, são considerados além dos sintomas citados, febre alta, taquicardia e outros indícios.

 

O local é dotado de uma estrutura que separa os pacientes sintomáticos para Covid-19 de pacientes acometidos com outra doença. Segundo a coordenadora de Urgência e Emergência da Secretaria Municipal de Saúde (Semus), Dahyene Cris Alves Silva, o acesso à Ala Covid é restrito apenas a funcionários escalados para atuar no setor, não sendo permitidas visitas, nem circulação de pessoas não autorizadas, somente em caso de necessidade de algum suporte profissional. “Essa separação é no intuito de evitar que demais profissionais e pacientes da unidade não sejam contaminados”, afirma Dahyene.

 

Sobre a estrutura física do atendimento, a coordenadora explica que as UPAs contam com leitos nas alas e isolamento específico para Covid-19. Na UPA Norte são 12 leitos (10 na ala e dois no isolamento). Na UPA Sul são nove leitos (sete na ala e dois no isolamento). Os leitos são equipados com eletrocardiograma, oxímetro (mede a quantidade de oxigênio o sangue transporta),  ventiladores mecânicos (realiza a respiração mecânica), desfibrilador (faz com que batimentos cardíacos sejam reiniciados em caso de mal súbito ou arritmia maligna),  bombas de infusão (controla fluxo de medicação dada ao paciente), aspirador portátil e carrinho de emergência, com medicações e demais equipamentos necessário em serviços de urgência e emergência. A ala também conta com um quarto de repouso para os profissionais de saúde, um refeitório e um posto médico e de enfermagem.

 

A profissional explica que o paciente é encaminhado para Ala Covid quando é classificado como moderado ou grave.  “Nessa ala, o paciente recebe os cuidados necessários e depois tem alta com as devidas orientações ou se evoluir para gravidade é encaminhado para o Hospital Geral de Palmas (HGP). Já no caso em que o paciente seja estabilizado, ele é encaminhado para acompanhamento do Centro de Saúde da Comunidade de referência”.

 

Para que as alas fossem criadas, as UPAs passaram por alterações estruturais e foram criadas barreiras com divisórias para evitar a circulação de pessoas na área de atendimento desses pacientes. Cada ala possui um médico, um enfermeiro e três técnicos em enfermagem. O quantitativo de profissionais pode ser alterado de acordo com a gravidade dos casos e o tempo de permanência do paciente na Ala.