Palmas, Tocantins -
Tentativa de homicídio
3.164 visualizações

Vice de Novo Acordo é preso suspeito de encomendar morte do prefeito por R$ 10 mil

O crime foi planejado pelo vice há cerca de três meses. Antes do atentado de ontem, o vice teria feito uma tentativa, no ano passado, e combinado a morte de Dotozim com dois suspeitos em Palmas
- Atualizada em
Letim teria encomendado a morte do prefeito mais de uma vez Divulgação

A Polícia Civil prendeu na tarde desta quinta-feira, 10, o vice-prefeito de Novo Acordo, Leto Moura Leitão Filho, conhecido como Letim Leitão, que é suspeito de ter encomendado, por mais de uma vez, a morte do prefeito Elson Lino de Aguiar, o Dotozim, de 59 anos. O vice-prefeito foi interrogado na tarde de hoje, na sede da Delegacia de Investigações Criminais de Palmas.

 

O prefeito foi atingido por três tiros na tarde de ontem, 9, em sua residência, e internado no Hospital Geral de Palmas, onde está com quadro de saúde estável. Outros dois suspeitos pelo crime foram capturados na manhã desta quinta. Gustavo Araújo da Silva seria o executor do atentado e o empresário Paulo Henrique Sousa teria supostamente feito a intermediação entre o vice e o autor dos disparos.

 

Conforme informou a Polícia Civil em coletiva à imprensa na tarde desta quinta, o crime foi planejado por Letim há cerca de três meses. Antes de contratar Gustavo, o vice teria feito uma primeira tentativa, no ano passado, e combinado o crime com dois suspeitos em Palmas, por R$ 4 mil, mas a dupla não conseguiu executar o homicídio, em decorrência de problemas que tiveram à época e ficaram impossibilitados de chegar até a cidade.

 

O vice então contratou um segundo ataque, ocorrido nesta quarta, pelo valor de R$ 10 mil, que ainda não foi pago. Antes de ser preso pela Polícia Civil, com Dotozim já hospitalizado no HGP, o vice teria prometido R$ 20 mil para que os autores do crime terminassem a tarefa após o prefeito deixar o hospital.

 

Ainda conforme a Polícia Civil, o crime teria sido motivado por desavenças financeiras entre o prefeito e o vice. Após os depoimentos, os suspeitos foram encaminhados à Casa de Prisão Provisória de Palmas. Na saída da delegacia, antes de ser levado para a CPP, o vice teria informado à imprensa que é inocente e que não mandou matar o prefeito, de quem seria amigo. O T1 Notícias não conseguiu contato com os suspeitos citados nesta matéria, mas informa que deixa o espaço aberto para que seus advogados de defesa se pronunciem, caso queiram.