Palmas, Tocantins -

#Eleições2016


Eleições em Palmas
1.657 visualizações

Em último debate na TV, candidatos à prefeitura de Palmas trocam acusações

No último debate realizado nesta quinta-feira, 29, candidatos a prefeito de Palmas apresentaram propostas e fizeram críticas mútuas
- Atualizada em

Em debate realizado pela TV Anhanguera na noite desta quinta-feira, 29, os candidatos a prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PSB), Cláudia Lelis (PV), Raul Filho (PR) e Zé Roberto (PT) discutiram propostas e não pouparam críticas mútuas. O governo do Estado também foi alvo de críticas, assim como a educação municipal, infraestrutura e impostos na Capital.

 

O debate foi dividido em quatro blocos. No primeiro bloco ocorreu o sorteio de temas, quando cada candidato podia fazer uma pergunta ao outro. Cláudia, Raul e Zé Roberto direcionaram as perguntas um ao outro, não se dirigindo a Amastha, que ao final do bloco fez sua pergunta a Cláudia Lelis.

 

No decorrer do debate Raul questionou Amastha sobre a transparência da atual gestão da Capital. “As minhas contas foram aprovadas por unanimidade e sem restrições pelo Tribunal de Contas do Estado (...). Já as suas estão penduradas, e inclusive a gente sabe que se a justiça acontecer deve levar o senhor, a sua esposa e toda sua quadrilha para cadeia. Não confunda as coisas”, respondeu Amastha.

 

Raul rebateu Amastha, dizendo: “o que é intolerável é esta cara de pau, de um cidadão desonesto, que montou a maior quadrilha da história desta cidade hoje, que usurpa o Poder Público, e vem falar aqui de desonestidade e família (...). Vossa excelência responde a mais de 30 processos por improbidade administrativa”, afirmou Raul Filho.

 

Na sequência, Amastha chamou Raul de mentiroso. “Eu peguei a pior capital em transparência, que o senhor me entregou (...) O senhor aprendeu aquela velha técnica que mente, mente, mente e vai que cola”, ressaltou Amastha. O atual gestor lembrou ainda dos processos contra Raul Filho, citando o caso Delta e o bicheiro Carlinhos Cachoeira.

 

Outro momento de embate entre Raul e Amastha foi quando o ex-prefeito afirmou que havia falhas na educação do Município. “Nós temos menos professores, problemas na merenda e até falta de água”, afirmou Raul. “O senhor fala uma tremenda de uma inverdade”, disse Amastha, afirmando que todos os Centros de Educação Infantil do Munícipio tem ar-condicionado.

 

Meio Ambiente

A vice-governadora Cláudia Lelis, ao ser questionada por Raul, sobre a políticas para o meio ambiente, ressaltou que esta era uma grande preocupação do seu plano de governo. “Vamos cuidar do meio ambiente como se fosse nossa casa”, garantiu. Raul lembrou que Cláudia é a responsável no Estado pelo setor que cuida do meio ambiente. “Nas questões ambientais no Estado nunca se viu uma política voltada sequer para recuperar nossas nascentes. Eu não conheço uma ação do governo do Estado sobre tudo na gestão da pasta que vossa excelência indicou seu cunhado, que pudesse trazer a solução para esta questão tão grave que o meio ambiente vive”, explicou Raul.

 

A candidata se defendeu. “O senhor está mal informado, mas como estamos aqui não para discutir o governo do Estado, mas sim a prefeitura de Palmas. Todos nós sabemos as dificuldades que a prefeitura de Palmas enfrenta em relação aos nossos mananciais e às nossas nascentes. Nós vamos ter este olhar mais atento”, afirmou Cláudia.

 

Impostos

Amastha perguntou a Zé Roberto sobre as políticas para a tributação municipal. O candidato garantiu que o pobre paga mais imposto e propôs uma reforma. “No nosso País, a grande maioria dos impostos são arrecadados através do consumo, ele penaliza demais as famílias de menor renda. Eu não tenho dúvida nenhuma em dizer, quanto mais pobre no nosso País mais imposto pagam”, ressaltou o petista.

 

O prefeito de Palmas pediu para que Zé Roberto, enquanto deputado estadual, viabilizasse emendas parlamentares para Palmas. Amastha ainda aproveitou a oportunidade para alfinetar Cláudia. “A senhora não precisa se ofender quando falamos da senhora como gestora, como vice-governadora, não estamos discutindo o governo do Estado, estamos discutindo o que o Raul Filho fez como prefeito, o que ele [Zé Roberto] faz como deputado, o que a senhora faz como vice-governadora e o que eu faço como prefeito”, destacou Amastha.

 

Raul na disputa

Outro ponto que esquentou os ânimos dos candidatos foi quando Cláudia Lelis afirmou que Raul Filho estava iludindo a população por estar inelegível. “O senhor vai continuar iludindo o povo de Palmas?”, questionou a vice-governadora. O ex-prefeito garantiu que está na disputa. “A vice-governadora fez toda sua campanha, seguida pelo prefeito, passando para a opinião pública a nossa inelegibilidade. Eu não sei porque vocês tem tanto medo de me enfrentar nas urnas. O que está acontecendo? É medo da opinião pública? A comprovação da minha elegibilidade está na Justiça”, afirmou Raul.

 

Raul Filho pediu o voto de Cláudia e de seus eleitores. “Peça para que seus eleitores ou vossa excelência mesmo, com a inteligência que tem, apesar que não pode colocar a serviço de Palmas, porque está provado que está aquém  da nossa realidade a necessidade de um gestor que possa promover a cidade, chegue na urna, digite o 22 e confirme. Aí a senhora vai constatar se eu estou elegível ou inelegível (...) É só confirmar, Raul Filho seu prefeito”, destacou Raul.

 

A candidata rebateu. “Esta é sua história. E entre a sua história e a história da justiça eu fico com a história da justiça, com a decisão com o Superior Tribunal da Justiça (...). Eu entendo que o eleitor de Palmas merece mais respeito, merece seriedade, compromisso com alguém que pode assumir se vencer”, disse Cláudia.

 

“Cunhado não é parente”

Amastha apontou diversas dificuldades encontradas na gestão no período de transição. O candidato à reeleição afirmou que Raul Filho possuía um alto número de familiares trabalhando na gestão municipal, quando prefeito. “Acho engraçado a maneira envergonhada que o senhor perguntou para a vice-governadora do cunhado secretário. Para vocês dois, que falam de tanta coisa humana, ser humano é contratar família? Porque o senhor tinha toda sua família pendurada, a cunhada, a presidente da comissão de licitação, o cunhado, o empregado da mulher. A vice-governadora, a mesma coisa, a família inteira”, afirmou Amastha.

 

O ex-prefeito Raul Filho, mais uma vez, chamou Amastha de mentiroso. “É impressionante como o prefeito Amastha consegue mentir. Acho que só ele mesmo se convence (...). Esta história de ‘familiocracia’, o nosso governo sempre respeitou. Eu nunca tive parente em serviços públicos. Cunhado não é parente”, ressaltou Raul, apontando que familiares de Amastha seriam beneficiados indiretamente.

 

Considerações finais

Nas considerações finais os candidatos aproveitaram para reforçar o pedido de voto. Zé Roberto criticou os ataques ocorridos no debate. “Aqui hoje nós ouvimos coisas absurdas. De formação de quadrilha de um lado, formação de quadrilha de outro. E desrespeita você, palmense, que está ouvindo e assistindo. O nosso projeto é mudar as prioridades desta cidade. É mudar a qualidade do que está sendo gasto, o dinheiro público do nosso município”, garantiu o petista.

 

Cláudia Lelis chamou a atenção para a escolha do próximo gestor e citou as pesquisas de rejeição a Amastha. “Todas as pesquisas indicam que 70% da população não quer mais a continuidade. Nós vamos decidir por uma mudança. O nosso compromisso não termina no dia 2 de outubro, muito pelo contrário”, afirmou Cláudia.

 

O atual prefeito destacou os avanços dos últimos quatro anos. “Quero para você, para todos os palmenses, o que quero para minha família. (...) Eu estou, com certeza, muito melhor preparado do que estes candidatos, para continuar levando nossa cidade para um novo patamar de desenvolvimento”, garantiu Amastha.

 

Raul Filho destacou a receptividade recebida na campanha. “Percebo que a nossa presença neste projeto renasce a esperança para retomarmos uma cidade mais humana, onde haja mais respeito por parte do governante para com o cidadão”, finalizou o ex-prefeito.

 

(Matéria atualizada às 11h20)