Acredito: estratégia de gestão e a problemática das drogas

Durante os meses de formulação desta política pública, houve a preocupação com o respeito as diversas correntes de pensamento sobre como lidar com a problemática das drogas...

Presidente do Consed em lançamento do Projeto Acredito
Descrição: Presidente do Consed em lançamento do Projeto Acredito

Inúmeros são os problemas sociais que carecem de atenção dos gestores públicos. No entanto, quero destacar a problemática das drogas como a mais urgente a ser enfrentada na contemporaneidade. É certo que não existem respostas simples e imediatas para um problema complexo, que potencializa a criminalidade e, consequentemente, os altos índices de violência e morte. Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), em 2016, mais de 200 mil pessoas perderam a vida em decorrência da dependência química.

 

Nesta perspectiva, nasce dos trabalhos do Conselho Estadual de Políticas sobre Drogas (Conesd-TO), o Projeto AcrediTO, que busca, a partir da transversalidade e da intersetorialidade, reunir um conjunto de atores sociais e instituições para integrar uma agenda de intervenção no território determinado, a quadra Arse 122, em Palmas. 

 

Destaco que, durante os meses de formulação desta política pública, houve a preocupação com o respeito as diversas correntes de pensamento sobre como lidar com a problemática das drogas. No entanto, buscou-se alinhar as ações em eixos de atuação que mais encontraram consenso e que fazem parte da política nacional sobre drogas, quais sejam: prevenção, tratamento, reinserção social e repressão.

 

No eixo da repressão, já em execução, as forças de segurança, utilizando dos serviços de inteligência mapearam e coordenaram ações de combate ao tráfico no território e adjacências. No eixo da prevenção, campanhas educativas e processos formativos serão oferecidos aos profissionais que atuam no bairro para esclarecer os malefícios que acarretam a curto e a médio prazos o uso de drogas, sejam elas ilícitas ou lícitas. No eixo da reinserção social, teremos ações com foco na capacitação profissional para a inserção no mercado de trabalho e serviços na área de saúde e infraestrutura; e por fim, no eixo de tratamento, as ações terão como base ofertar serviços tanto da rede municipal, quanto da estadual para aqueles que desejam acolhimento.

 

Outro destaque desta ação está no modelo estrutural da agenda, que compartilha responsabilidades e integra ações continuadas de diversas instituições, sobretudo do Governo do Estado e da Prefeitura de Palmas. O foco está na identificação de diversas políticas públicas já previstas no orçamento público para serem disponibilizadas no território escolhido com envolvimento direto da comunidade. Aqui, com certeza, cabe o jargão popular “A união faz a força” para explicar a importância da participação de todos como diretriz do projeto.

 

Durante 90 dias, a equipe do AcrediTO estará presente no território, no entanto, espera-se que haja uma continuidade dos serviços, sobretudo dos equipamentos públicos já disponíveis na localidade, tais como escolas, centros de referência de assistencia social, posto de saúde, entre outros. Espera-se também, o envolvimento da comunidade, pois se não houver continuidade e vigilância, os problemas sociais enfrentados em função das drogas retornarão. Nesta batalha, somos todos atores sociais e a nossa sinergia e interação são fundamentais para a efetividade do projeto.

 

Esperamos que o AcrediTO seja um esperança para todos os demais municípios do Estado e que se torne, em breve, em uma política estadual sobre as drogas instituída em lei. É uma longa caminhada que se inicia e a tarefa de cada um de nós, como pessoas que acreditam em pessoas, é corrigir trajetórias de dependência química, a partir do envolvimento da ação de estado e comunidade. E vamos ao trabalho!

 

Gleidy Braga é presidente do Conselho Estadual sobre Drogas e secretária de Estado da Cidadania e Justiça 

Comentários (0)