O carnaval já acabou, será que ainda dá tempo de organizar as suas finanças?

Você começou o ano de 2022 falando que tudo seria diferente, estabelecendo várias metas, entre elas a de que cuidaria melhor das suas finanças. Mas percebeu que dois meses já se passaram e aquela meta financeira, agora, corre sérios riscos de não sair do papel, não é mesmo?

 

Mais uma vez aquele objetivo de sobrar dinheiro, poupar para uma viagem, ou quitar de vez aquela dívida vai ficando para trás e isso tudo gera um sentimento de frustração e de que cuidar das finanças talvez não seja para você.

 

Ao mesmo tempo, você percebe que os preços no supermercado sobem diariamente, a inflação está extremamente alta, o seu orçamento cada vez mais apertado e seu dinheiro simplesmente desaparece antes do mês acabar.

 

Essa é a realidade de muitos brasileiros que por falta de conhecimento acabam não cuidando do próprio dinheiro e precisam recorrer a empréstimos, cartões de crédito e várias outras saídas que afetam diretamente a sua saúde financeira e psicológica.

 

Não é à toa que hoje 75% das famílias brasileiras estão em situação de endividamento, ou seja, de cada 10 famílias, quase 8 delas têm dívidas. E quando o assunto é investimento, menos de 3% da população investe na bolsa de valores. Cenário que mostra, de forma preocupante, a forma como o Brasileiro está lidando com as suas finanças no dia a dia.

 

Mas onde realmente está a causa?

 

Na falta de conhecimento, de uma educação financeira básica que seja acessível e fácil de se entender. De mostrar que não precisa ser um especialista para cuidar do próprio dinheiro, basta apenas ter noção de que as contas devem bater no final do mês, ou seja, que não tem como gastar mais do que se ganha.

 

Outro motivo é o imediatismo, de querer tudo para ontem e não ter a paciência de esperar. As “famosas compras por impulso” que levam o seu dinheiro embora, prejudicam o orçamento, causam o endividamento e impedem de alcançar vários objetivos. No entanto, isso já é uma questão mais complicada de se resolver, é cultural, é do Brasileiro consumir. Não que seja errado, muito pelo contrário, mas o consumo deve ser consciente e planejado no seu dia a dia.

 

E para organizar as suas finanças, anote essas 3 dicas que vão ajudar a controlar o seu dinheiro, ainda que o ano já tenha começado.

 

A primeira é começar com um planejamento simples, descobrir quais são as suas receitas e as despesas, através desse exercício é possível entender como está a sua situação financeira. Vai exigir um levantamento de dados e comprometimento para entrar em ação.

 

Caso você tenha dívidas, é hora de dar mais atenção e eliminá-las o mais rápido possível. Essa é a segunda dica e o quanto antes resolver essa situação, melhor, porque os juros das dívidas são um dos grandes vilões do orçamento.

 

A terceira dica seria iniciar a construção de uma reserva de emergência, um valor que você deve destinar para imprevistos do dia a dia e para dar mais tranquilidade em momentos de urgência.

 

Não a subestime, pois uma reserva montada é fundamental para que você não caia em futuros endividamentos.

 

São dicas simples, mas que exigem disciplina, comprometimento e muita paciência na hora de ser colocada em prática, tudo isso para que você tenha realmente sucesso nas suas finanças.

 

É o que sempre falamos nas finanças e nos investimentos o melhor momento para começar é agora, independente do dia ou do mês. Pois, serão através desses pequenos passos que você começará a controlar de vez o seu dinheiro, terá mais liberdade no seu orçamento, mais segurança para imprevistos e conquistará os seus objetivos.

 

Por isso, por mais que já tenha passado alguns meses desse ano, você precisa tomar a decisão de começar, de entrar em ação.

 

Tenho certeza de que os seus resultados serão muito melhores, mas isso só depende de você.

 

Texto escrito por Thyago Chekerdemian S. Tulio - @financasemdobro

 

Mini Currículo

 

Thyago Chekerdemian S. Tulio

Servidor público e Educador Financeiro, formado pelo Instituto Soaper em 2020, especialista em investimentos, sócio fundador do perfil Finanças em Dobro no instagram e Youtube.

Comentários (0)