Palmas, Tocantins -

Em Debate

Yanna Barbosa

Yanna Barbosa

344@teste.com


Estado
1.942 visualizações

O Homem de um livro só

Poderia citar inúmeros fatos, nomear centenas de pessoas que viram heróis do dia pra noite e ninguém conhece absolutamente nada acerca da sua vida...
- Atualizada em

Alguns dias atrás, ouvi essa expressão e fiquei encantada! Finalmente consigo transmitir meus pensamentos através de uma única frase – “O homem de um livro só”.

 

Quando buscamos artigos científicos publicados, podemos notar que o autor cita diversos outros autores em suas notas. Para um artigo demonstrar consistência vários autores, pesquisadores devem ser apontados  e suas opiniões demonstradas, para no final, chegarmos à tão esperada “conclusão”.

 

Tomo como base toda essa introdução para levantar algumas questões atuais. Com o advento da popularidade das redes sociais, a figura do “homem de um livro só” tem sido cada vez mais frequente. Por analogia, explico.

 

Há alguns dias,  um “post” circulou nas redes sociais: “ Justiça tira 5 filhos de casal pobre e distribui para adoção” (alguma coisa parecida). Os títulos eram mais ou menos assim: “ Não podemos concordar com isso!” “ Vamos nos rebelar”. Ora, é ÓBVIO que a história está mal contada... faltam informações! No entanto gostaria de saber quantos que repassaram a notícia foram buscar a denúncia do Ministério Público? Quantos tiveram acesso à sentença do Juiz.

 

Quando  há alguns dias uma explosão de sobrenomes “Guarani Kaiowá” tomou conta das redes sociais acabei por criticar a atitude. Mesmo defendendo que “luta é luta” e respeitando a ideologia de cada um, questiono quantas pessoas procuraram algo mais sobre o assunto do que notícias de jornais e sites?  Quantas pessoas conhecem o parecer, na íntegra da Procuradoria da República”? Quais os fatos que constam do processo? Garanto a vocês que menos de 10% dos que exibem o sobrenome sabem qualquer informação acerca do caso.

 

Indo mais longe um pouco...”Belo Monte, hidrelétrica em construção no Rio Xingu, no Pará. Detonada em redes sociais, gostaria de conhecer apenas um internauta que tenha participado de pelo menos “uma” audiência pública, dentre as centenas que já aconteceram. Um internauta que conheça o projeto de preservação ambiental, conheça seus impactos, tenha lido pareceres diversos, analisado diferentes tipos de opiniões de ambientalistas, engenheiros...Quem fez isso antes de omitir opinião sobre a Usina? Garanto que poucos...

 

E por ai vai! Poderia citar inúmeros fatos, nomear centenas de pessoas que viram heróis do dia pra noite e ninguém conhece absolutamente nada acerca da sua vida...apenas um fato já é o bastante...basta uma notícia e pronto!

 

Mesmo se a preguiça ou a falta de tempo nos impedir dessa busca de informações, vamos pelo menos, ter o devido cuidado ao emitir opiniões... Vamos devagar com o andor por que o Santo é de barro. E se você internauta, estiver louco por compartilhar informações, opte pelas frases da Clarice Lispector...ah, mas checa antes se a frase é de autoria dela mesmo tá?

Outras Notícias