Palmas, Tocantins -
Nesta sexta-feira
1.491 visualizações

A pedido da OAB/TO, a Secretaria de Cidadania e Justiça suspende portarias

Entre os entraves que as portarias mencionadas causavam ao exercício da advocacia, o principal era a dificuldade de acesso dos advogados ao cliente
- Atualizada em
Dani Braga

Nesta sexta-feira, 10, o Secretário de Cidadania e Justiça do Tocantins, Heber Luís Fidelis, decidiu revogar portarias do sistema prisional em Paraíso e Guaraí que, conforme apontou a Ordem dos Advogados do Brasil - Seccional Tocantins, violavam prerrogativas da advocacia. 

 

“Mais uma vitória maiúscula foi conquistada pela OAB/TO com base no diálogo institucional. A garantia do cumprimento das prerrogativas no sistema prisional permite o exercício digno da advocacia pelos colegas que atuam na área criminal. Precisamos conquistar o tratamento isonômico da advocacia em relação a Defensoria Pública no sistema prisional”, destacou o Presidente da OAB/TO, Gedeon Pitaluga.

 

Entre os entraves que as portarias mencionadas causavam ao exercício da advocacia, o principal era a dificuldade de acesso dos advogados e advogadas ao cliente. 

 

“Criamos um grupo junto com a Comissão de Políticas Criminais da Ordem e os Presidentes das subseções que estão tendo qualquer tipo de problema, com portarias ou com qualquer outra questão que venha a ferir a prerrogativa do advogado, para levar suas sugestões. Nós vamos reunir na secretaria e fazer portarias de acordo com as necessidades de cada cidade”, disse Fidélis. 

 

O Procurador de Prerrogativas, Paulo Roberto Silva, manifestou satisfação com a posição da Secretaria de Cidadania e Justiça. “Não esperava postura diferente do secretário, que vem se mostrando aberto ao diálogo e respeitoso no trato institucional com a advocacia”, disse Silva.

 

Posicionamento das subseções

 

Os presidentes de Subseções também utilizaram o direito de fala durante a reunião do Conselho Seccional da OAB/TO, entre eles, os representantes de Paraíso e Guaraí. Toda a advocacia que vive no entorno dessas cidades também estava sendo prejudicada pelas portarias emitidas pelo sistema prisional.

 

“É lamentável termos que movimentar toda essa estrutura: Conselho Seccional, Procuradoria de Prerrogativas da OAB e Secretário de Cidadania e Justiça para termos nossas prerrogativas atendidas. Faço aqui meus agradecimentos ao Presidente da Seccional, Gedeon Pitaluga, por ter abraçado com afinco a insatisfação dos advogados da Subseção de Guaraí, e ao Secretário de Cidadania e Justiça, pois, se prontificou a atender os anseios da advocacia”, afirmou Marcela Felix, Presidente da Subseção de Guaraí.

 

O Presidente da Subseção de Paraíso do Tocantins, Whillam Maciel, também fez questão de se posicionar. “A OAB/TO representada pela Subseção de Paraíso tomará todas as medidas cabíveis, sempre, para que todo advogado tenha acesso ao seu cliente quando for necessário”, destacou Maciel.